Tenente Bahia mostra vídeo ensinando filha a usar o penico: “Rumo ao desfralde!”

O pai utilizou as redes sociais para compartilhar a nova transição de Sophia, sua primeira filha. A Pais&Filhos separou algumas recomendações para você conseguir saber tudo sobre essa fase super importante na vida de uma criança

Resumo da Notícia

  • Tenente Bahia usou as redes sociais para compartilhar o desfralde da filha
  • Essa fase gera mesmo muitas dúvidas, e você pode tirá-la de letra ao seguir algumas recomendações
  • A Pais&Filhos separou dicas para a deixar a hora de apresentar o penico mais fácil

Na última quarta-feira, dia 12 de janeiro, Tenente Bahia  utilizou as redes sociais para compartilhar com os seguidores um momento super importante, tanto para a vida das crianças quanto para a dos pais: o desfralde dos filhos. 

-Publicidade-

Foi através do Instagram que o o pai de primeira viagem mostrou um vídeo ensinando sua filha primogênita, Sophia, a utilizar o penico sozinha. Para ver este conteúdo, clique aqui!

Tenente Bahia ensinando Sophia a usar o penico
Tenente Bahia ensinando Sophia a usar o penico (Foto: Reprodução Instagram @tenente_bahia87)

“Acho que ela entendeu tudo. Rumo ao desfralde! Quando desfraldar o bebê?”, escreveu Tenente Bahia na legenda da publicação. Mas afinal de contas, quando desfraldar o seu filho?

Penico, aí vamos nós!

Algumas atitudes podem colaborar nesse momento, como deixar a porta do banheiro entreaberta para que as crianças possam ver os pais indo ao banheiro. Outra ideia é apresentar o penico: deixe que ela explore o objeto, respeite seu tempo. O uso do penico é recomendado por muitos pediatras pela facilidade de uso, o bebê consegue sentar e sair sem problemas e levá-lo a vários lugares. “Os pais devem ter paciência, tolerância, não exagerar em ambos os lados. Por exemplo, parabenizar a criança quando usou o penico na primeira ou segunda vez tudo bem, mas depois, aos poucos, vai tornando aquilo natural. E nem o contrário, exagerar no que é ruim, reclamar muito do cheiro, falar ‘meleca, olha só o que você fez, quanto cocô, que nojo’. Claro que a criança tem que aprender que as fezes é algo que ela descarta, não é porque foi produzida por ela que tem que ficar. Aos poucos, a criança percebe que controla as fezes, mas que também é uma coisa diferente dela. Portanto é válido se despedir do cocô e xixi e estimular o desejo dela de crescer igual o pai, a mãe, os irmãos”, completa a psicóloga.

Primeiros sinais: Quando chega a hora de abandonar a fralda, as crianças começam a dar alguns indícios. A partir do momento em que você perceber que ele obedece a comandos, compreende frases simples e imita a ação dos pais, significa que tem maturidade para iniciar o desfralde.

Iniciando: Ao perceber os sinais, você deve iniciar o ensino gradual. Comece apresentando o banheiro, o vaso sanitário e mostrando ao seu filho qual o destino de tudo o que ele vai fazer no penico.

Trabalho de quem: Geralmente, a indicação médica é de que a mãe ensine a filha e o pai ensine o filho, por correspondência de gêneros. Mas, seja menina ou menino, a participação tanto do pai quanto da mãe é essencial nesse momento, os dois têm que se envolver.

Converse muito: Nesse momento é importante passar uma orientação de forma lenta e gradual através de gestos repetidos, como levar a criança ao banheiro e jogar o que tiver no penico dentro do vaso junto com ela. Tudo deve ser ensinado didaticamente, para que ela adquira consciência do que está fazendo.

A melhor estação é o verão: Deixar a criança molhada de xixi em um tempo frio pode causar resfriado, além de incômodas assaduras. Prefira sempre o verão para fazer o desfralde! “É importante adiar o processo se estiver acontecendo algum fato que altere a rotina da criança, como por exemplo, a mudança de casa, morte de alguém próximo, transferência de escola ou o nascimento de um irmãozinho”, ressalta Débora Corigliano, especialista em neuropsicopedagogia do Instituto Brasileiro de Formação de Educadores (IBFE) e mãe de Bruno e Giovanna.

Encare com naturalidade: É fundamental que a criança perceba que fazer suas necessidades no banheiro é importante. Por isso, seja exemplo e encare o fato com naturalidade. Além disso, a criatividade pode ser uma aliada em alguns momentos, como na hora de dar a descarga, em que o barulho pode assustar a criança.

Avise a escola: Quando for iniciar o processo do desfralde, combine o mesmo com a escola para não confundir a criança, pois ela não entende o fato de ter que ficar sem fralda no período escolar e para ir ao shopping, por exemplo, precisar colocar a fralda de novo. Atitudes como essa podem tirar a segurança e confundir criança, deixando o processo muito mais demorado

Cuidado com suas atitudes: Evite forçar seu filho a passar horas sentado no penico. Essa obrigação pode provocar outros problemas, como a prisão de ventre.

Converse com o pediatra: Transforme essa fase um momento tranquilo. É importante a conversa com o pediatra sobre este momento, já que ele pode dar dicas e orientações por conhecer bem você e seu filho.

Seja positivo: Não se surpreenda se sua família e amigos perguntarem a respeito do desfralde e pensarem que você está pressionando seu filho a fazer isso. Um conselho a ser seguido é: ignore comentários e momentos que não saem da maneira que você esperava e mantenha a positividade – isso aumenta as chances de ter sucesso com o que você está fazendo.

Depois do penico: Não faça a transição do penico para a privada muito cedo. Você vai saber que seu filho está pronto para o trono de porcelana, quando ele é capaz de subir sozinho e sentar, mesmo se você remover o assento de criança. Isso geralmente acontece em torno de 3 anos.

Tudo a seu tempo: A principal dica é que você não tenha pressa e tente fazer tudo de forma lúdica para a criança. O pior erro é repreender ou brigar, porque dessa forma você pode prejudicar e atrasar o progresso, já que a criança pode se sentir reprimida de usar o penico outras vezes e até mesmo causar prisão de ventre.

A principal dica é que você não tenha pressa e tente fazer tudo de forma lúdica para a criança (Foto: iStock)