Thais Fersoza fala com exclusividade sobre maternidade: “Eu queria o pacote completo, com perrengue, coisas boas, sustos e descobertas”

Em bate-papo exclusivo para Pais&Filhos, ela prova que aprendeu a ser mãe na prática, sem levar em conta teorias e acredita muito que mãe também é gente, namorar também é prioridade!

 

-Publicidade-
Ela é mãe de Melinda e Teodoro (Foto: reprodução / Instagram)

Carinhosa e dedicada, a atriz e apresentadora Thaís Fersoza, mãe de Melinda e Teodoro, prova todos os dias que paciência não falta para ela na hora de criar os filhos – e reforça no livro Nasce uma mãe: Meus primeiros aprendizados e minhas aventuras na maternidade. Em bate-papo exclusivo para Pais&Filhos, ela prova que aprendeu a ser mãe na prática, sem levar em conta teorias e acredita muito que mãe também é gente, namorar também é prioridade!

P&F: Você sempre quis ser mãe?

Thaís Fersoza: Sim, eu sempre sonhei com isso, sempre quis ter família. Como comecei a carreira de atriz muito cedo, com 12 anos eu já era o que eu queria ser quando crescesse, eu já estava realizando meu sonho profissional. Então ser mãe, construir uma família, ficou muito latente para mim. Essa vontade veio muito forte desde muito cedo.

P&F: E por que essa vontade desde tão cedo? 

TF: Meus pais são casados há 42 anos. Então a referência que eu tenho em casa é de pessoas que lutam pelo amor mesmo com suas diferenças, cada um com seu jeito de pensar. Mas que lutam para estar juntos, que querem estar juntos, que acreditam em fazer dar certo.

P&F: E como foi ser mãe de primeira viagem?

TF: Acho que foi como todas as outras mães de primeira viagem. Antes de ter filhos, eu falava que não ia fazer uma coisa, que não ia pensar daquele jeito, que ia ser desencanada… Mas na hora, tudo que eu havia falado que não ia fazer, acabei fazendo! Tive sim a ansiedade, a expectativa, aquela coisa de querer acertar muito, o desejo de dar certo.

P&F: Você leu livros, estudou e se preparou?

TF: Eu sempre fui uma mãe muito de feeling, o Michel já foi um pai muito de ler livros. Eu sempre quis muito que fosse leve, que fosse tranquilo, que tivesse respeito, amor, paciência e cumplicidade. Eu falo que não é possível que seja tão lúdico ou tão desesperador. Tem que ter um equilíbrio. E eu sempre busquei isso. Eu ouvi muitas coisas, eu li muitas coisas, mas sempre por curiosidade, não como: vou seguir essa linha.

P&F: E como é a Thaís mãe na prática?

TF: Eu lido com as crianças de uma forma sempre muito positiva, muito respeitosa, de igual para igual. Sempre tratei eles abaixando, olhando olho no olho. Procuro sempre conversar com muita naturalidade e tranquilidade.

P&F: Demais! E rolou frustração em algum momento?

TF: Ah, tem expectativa, tem a frustração. No meu caso foi a amamentação que não rolou para a Melinda, mas para o Teodoro sim. Foi muito frustrante não conseguir amamentar, fiz até relactação. Mas óbvio que foi maravilhoso do mesmo jeito. Eu amei tudo, desde o primeiro receio, o primeiro medinho até os acertos. Como eu sempre desejei muito a maternidade, eu queria o pacote completo, queria o perrengue, as coisas boas, os sustos e as descobertas.

P&F: Que bacana isso! E depois do primeiro filho, a missão fica mais fácil?

TF: Ah, sim. A gente fica mais tranquilo, já sabemos um pouco o que esperar. Claro que cada filho é um, mas você já sabe as fases, já não tem mais tanta ansiedade e insegurança. Acho que é uma coisa um pouco mais leve pelo fato de não ter o inesperado. Quando acontece uma coisa, você já está ligada. E você já sabe que passa, já sabe como lidar, já tem alguns recursos. Não é o novo. Então com certeza na prática é mais fácil.

P&F: Qual a melhor coisa de ser mãe?

TF: É ser mãe! Essa é a melhor coisa do mundo. É um amor que transborda – e olha que no início é uma relação de total entrega. Não é troca, porque você se doa para aquele neném que só quer o seu leite, que você o coloque para dormir e que o troque. Mas a melhor coisa é ser mãe no sentido de estar presente, de participar, de vivenciar a maternidade. Para mim é muito maravilhoso, é muito gratificante, é transformador e me preenche.

P&F: Que lindo isso! E como a sua vida mudou depois da maternidade?

TF: Eu acredito que mude tudo, mas acho que tudo é uma transformação positiva, para uma coisa que você desejava tanto. Você fica com menos tempo para você? Fica. Você tem menos tempo de sono? Tem. Mas é um desejo que, no meu caso, que me preparei para isso e esperei por isso, acabou sendo uma transformação muito positiva.

P&F: E a rotina?
TF: Claro que fica mais corrida, eu acabo dedicando mais tempo a eles do que a mim, mas tudo bem. No início é uma confusão mesmo, mas depois você pega o jeito. Eu sempre fui muito a favor de uma rotina para as crianças, e como sou muito organizada, isso me ajudou para criar o nosso dia a dia.

P&F: E com essa organização rola um tempo só seu, no estilo “mãe também é gente”? 

TF: Super! Acho importante. Confesso que até o primeiro ano dos dois eu não tinha muito, e realmente sentia falta de conseguir achar umas brechas para mim. Hoje em dia, com eles já maiores, eu tenho esse tempo e respeito isso. Consigo conciliar com as atividades deles naquele esquema de rotina.

P&F: Quem é a sua rede de apoio? 

TF: A minha rede de apoio sempre foi meu marido, minha família, meus pais. Sempre foram pessoas que me apoiaram muito, que estiveram junto comigo, como as minhas amigas.

P&F: E como ficou o casamento depois dos filhos?

TF: Eu acho que é só a admiração que aumenta, o amor que aumenta, a cumplicidade… Você olhar e pensar que, caramba, ele é o pai dos meus filhos! E é muito grande a responsabilidade de colocar seres humanos no mundo e de fazer com que se tornem pessoas boas e preparadas. Então, acho que rola uma admiração ainda maior.

P&F: E vocês têm um momento só do casal, de sair e namorar?
TF:
Sim! Um bom exemplo é que às vezes dou o jantar para as crianças e coloco-as para dormir, depois vou me arrumar e nós vamos comer fora. Ou mesmo quando ficamos em casa, batemos um papo, conversamos só nós dois, vemos um filme. Preservamos uma vez no ano para fazer uma viagem só nós dois, deixamos as crianças com meus pais e tiramos uma semaninha para nós também.

P&F: Como é o Teló como pai?

TF: Maravilhoso! Mesmo dentro de todo o corre da vida dele, quando ele está presente, está presente mesmo. Desde o início, os banhos, as trocas de fralda, ele participava de cada primeiro momento.

P&F: O que você mais aprendeu com seus pais e procura passar para os seus filhos?

TF: O respeito ao próximo e o diálogo. Eu sempre fui do diálogo, lá em casa conversávamos muito. Tudo sempre foi falado muito abertamente, trocando ideias e batendo papo sem vergonha, sem medos e sem receios.

P&F: Como é a relação entre o Teodoro e a Melinda? A diferença de idade ajuda ou atrapalha?

TF: A relação dos dois é maravilhosa. A pouca diferença de idade ajuda muito, porque eles estão vivendo os mesmos momentos, tendo as mesmas dúvidas e questionamentos. A relação deles é muito bacana, existe uma cumplicidade e uma parceria de um cuidar do outro.

P&F: Como você concilia carreira e maternidade?

TF: No início eu abri um pouco mão. Entendi que iria ter que ficar um pouco ausente de novelas, sem trabalhar fora de casa. E foi assim que veio a ideia de criar o canal. Fui criando conteúdo, mas sempre dentro de casa. Isso me manteve ativa profissionalmente.

P&F: Quais os valores que vocês procuram passar para as crianças?

TF: Que sejam pessoas boas, respeitosas, generosas, humildes. São os valores que eu e o Michel temos de origem, de família, que recebemos dos nossos pais e queremos passar para os nossos filhos.

P&F: Vocês têm vontade de ter mais filhos?

TF: Eu estou muito feliz com os dois, nos sentimos muito realizados. Não consigo imaginar nós termos outro neném agora. Eu acho que foi tudo tão intenso, que eu prefiro curtir intensamente eles em cada fase e em cada momento. Eu amei ficar grávida e eu amo ser mãe. Então, se acontecesse não iria ficar assustada em ter mais um filho. Mas, de verdade, sinto que estou com o coração bem preenchido. A gente como família, nós quatro, nos sentimos bem completos.

P&F: Para você, família é tudo?

TF: Família é tudo, é a base de tudo. É ótimo me sentir realizada profissionalmente, mas é tão bom chegar em casa e ter a sua família, a sua base, a sua estrutura, ter para quem voltar, ter seus momentos com a sua família é tão maravilhoso. Família é tudo na vida, é Deus presente. É a melhor coisa do mundo, é o maior amor do mundo, é muito gostoso!

Leia também:

Thais Fersoza mostra a família assistindo ao show de Michel Teló e faz desabafo sobre a cena

Thais Fersoza fala sobre amizade dos dois filhos e confessa se pretende aumentar a família

Thais Fersoza compartilha foto grávida e encanta seguidores: “Emocionante”