“Tinder para pets”: aplicativo conecta animais abandonados a pessoas que querem adotar

Cada bicho merece um lar cheio de amor! Essa nova tecnologia, que já chegou no brasil, visa unir pais adotivos a filhos de quatro patas

Resumo da Notícia

  • O "Tinder para Pets" já chegou no Brasil
  • A tecnologia visa conectar animais abandonados a possíveis adotantes
  • O desafio da adoção aumenta quando se trata de animais especiais ou adultos
  • Os pets podem ter um final feliz com a adoção

Novidade na área! Acaba de ser lançado no Brasil o aplicativo que é um verdadeiro “Tinder para pets”, para conectar pais adotivos à animais abandonados. De forma gratuita, o aplicativo aproxima ONGS que resgatam esses bichos à pessoas interessadas a aumentar a família– possíveis adotantes.

-Publicidade-
A presença de um animal em casa pode fazer muito bem para a família(Foto: Getty Images)

Segundo o portal Uol, Celso Zucatelli, jornalista e apresentador, decidiu se juntar ao time responsável pelo projeto. Ele lembrou: “São mais de 170 mil animais à espera de uma família, fora os que estão com protetores independentes. Iniciativas como essa são urgentes”.

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), existem mais de 30 milhões de animais em situação de abandono no Brasil. “Isso é a estatística oficial, mas sabemos que a realidade é muito mais grave”, comenta Celso.

Com a pandemia, essa realidade piorou. Fernanda Delboni, outra sócia do projeto, empresária e CMO da Techsocial- empresa responsável pelo desenvolvimento do aplicativo, lamentou: “Por falta de dinheiro ou outros motivos, muita gente deixou o pet para trás“. O aplicativo chegou na hora certa! Não poderia haver melhor momento. Fernanda afirmou: “O desafio é atender as expectativas das ONGs e convencê-las a usar o app. O terceiro setor precisa muito de ajuda, especialmente a causa animal”.

Desafios da adoção

A adoção fica ainda mais difícil quando se trata de animais especiais, que tiveram membros amputados ou com sequelas de doenças. Esses pets também esperam o tão sonhado match no “Tinder dos bichos”. Fora do aplicativo, dificilmente um adotante olharia para esses candidatos.

O vira-lata Bless, um descendente de pastor alemão de apenas um ano, é sobrevivente de uma ninhada com cinomose- doença altamente contagioso transmitida por um vírus. Por conta da doença, ele não consegue andar sozinho e precisa do auxilio de um carrinho de bebê. Bless faz acupuntura e mais tratamentos na ONG Projeto Cel, onde foi resgatado. “Ele tem apenas um ano, é um bebê muito bonzinho, que está no app à espera de um tutor especial. Estou animada com o lançamento do projeto, que certamente vai nos ajudar a achar mais famílias dispostas a adotar”, conta Eliete Brognoli, fundadora da ONG, que já chegou a ver o abrigo extrapolar sua capacidade, com mais de 600 animais.

Gatos adultos também encontra dificuldades para serem adotados (Foto: Freepick)

Cachorros e gatos adultos também são um desafio na adoção animal. O vira-lata Chico é um dos mais antigos no abrigo, onde está há mais de 8 anos. “É muito medroso e carente, ele precisa de uma família que o entenda e respeite. As pessoas têm restrição em adotar adultos, o que é um erro. Muitas vezes, um cachorro adulto já vem educado e é aquele que mais precisa de família”, completa a cuidadora.

Adoção salva vidas

Não são raras histórias de pitbulls que, quando abandonados nas ruas, são apedrejados, queimados ou mesmo acorrentados a um poste, como foi encontrada Shakira. “Nós a encontramos amarrada, à beira de uma estrada, tomada pela sarna negra- doença que faz cair todos os pelos. Estava com a pele inteira queimada pelo sol, quase morta. Já está tratada e pronta para um lar. Lembro que a doença não é transmissível para animais e pessoas e só se manifesta quando há queda na imunidade do animal. Ela é um doce de cachorra”, conta Eliete.

Todo cachorro merece um lar (Foto: Freepick)

Finais felizes podem existir! O pitbull Tiago foi encontrado à beira da morte, sem nenhum pelo no corpo, em Recife, Pernambuco. Resgatado e recuperado pelo advogado Werner Grau, especialista em direito ambiental no escritório Pinheiro Neto e apoiador de ONGs de proteção animal, hoje o cachorro leva a vida que todo pet deveria ter: dono de um lar cheio de amor, com comida e saúde.