Uma loucura: mulher leva marido morto em agência bancária para fazer “prova de vida”

Segundo um laudo do Instituto Médico Legal, o homem já estava morto havia pelo menos 12 horas

Resumo da Notícia

 
  • Mulher leva marido morto em agência bancária
  • Ela precisava fazer a "prova de vida"
  • Caso aconteceu em Campinas, São Paulo
Mulher leva marido morto em agência bancária para fazer “prova de vida” (Foto: reprodução / UOL)

Essa história não parece real. Quem se lembra do filme “Um morto muito louco”? Famoso nos anos 90. Mas dessa vez a cena da vida real aconteceu em Campinas, interior de São Paulo, em uma agência do Banco do Brasil, no dia 2 de outubro. Josefa de Souza Mathias, de 58 anos, levou o marido morto para fazer a “prova de vida” na agência bancária acompanhada de mais um casal.

-Publicidade-

A loucura da história começa assim: ela chegou carregando o corpo em uma cadeira de rodas e deixou no primeiro andar enquanto subia as escadas para chamar uma funcionária alegando que o marido passava mal. O casal que estava acompanhando a mulher ficou ao lado do idoso.

Obviamente um dos atendentes do banco estranhou a situação. Ele percebeu que Laércio DElla Colleta, de 92 anos, estava morto. Foi nesse momento que o funcionário do banco pediu ajuda de um bombeiro civil que também constatou o morte do escrivão de polícia reformado.

-Publicidade-

A tentativa de Josefa era conseguir acessar e movimentar a conta do marido. Ela precisava de uma nova senha de letras e seria necessário comprovar que ele estava vivo, já que não tinha nenhuma procuração. Foi assim que resolveu levá-lo sem vida ao banco. Uma loucura!

Um laudo do Instituto Médico Legal apontou que Laércio estava morto havia pelo menos 12 horas. Em depoimento, a mulher que estava acompanhando Josefa alegou não saber e nem perceber que o homem estava sem vida. Ontem, dia 16, a Polícia Civil de Campinas indiciou Josefa por vilipêndio de cadáver, que significa desrespeito ao corpo e tentativa de estelionato.

-Publicidade-