Vacina contra Covid-19: Anvisa aprova a autorização temporária de uso emergencial

Diretora da Anvisa disse que agência ainda não recebeu nenhum pedido de uso emergencial e nem pedido de registro de vacinas

Nesta quinta-feira, 10 de dezembro, Anvisa deu uma notícia que pode acalmar o coração de muitos brasileiros! A agência decidiu autorizar temporariamente o uso emergencial de vacinas contra a Covid-19, que ainda estão em fase de teses. De acordo com as informações do G1, apesar da autorização, Alessandra Bastos Soares, diretora da Anvisa, disse que a agência ainda não recebeu nenhum pedido de uso emergencial ou solicitação para registro de vacinas.

-Publicidade-
Anvisa aprova a autorização temporária de uso emergencial de vacinas contra Covid-19 (Foto: Unsplash)

A diretora ainda reforçou que esse pedido deve ser feito pela empresa. “Qualquer autorização concedida pela Anvisa, qualquer anuência, só será feita diante de um pleito. A vacina só terá autorização de uso emergencial e experimental se houver o pleito realizado por alguma empresa”, disse Alessandra.

Além disso, a A Anvisa ainda ressaltou que poderá modificar, suspender ou cancelar a autorização temporária a qualquer momento, com base em elementos técnicos e científicos.

No momento, no Brasil existem quatro vacinas na fase final de testagem, desenvolvidas pelas seguintes empresas: AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford; Pfizer, em parceria com a BioNTech; Johnson & Johnson, por meio da subsidiária Janssen, e a Coronavac, do laboratório Sinovac.

As etapas de produção de uma vacina envolvem 3 fases:

Fase 1: avaliação preliminar com poucos voluntários adultos monitorados de perto;
Fase 2: testes em centenas de participantes que indicam informações sobre doses e horários que serão usados na fase 3. Pacientes são escolhidos de forma aleatória e são bem controlados;
Fase 3: teste em larga escala (com milhares de indivíduos) que precisa fornecer uma avaliação definitiva da eficácia/segurança e prever eventos divergentes.