Vacina da Covid: Brasil recebe mais de 1 milhão de doses do consórcio global Covax Facility

As doses são da Oxford/AstraZeneca, fabricadas na Coreia do Sul. Mais 1,9 milhão de doses devem chegar até o final deste mês

Resumo da Notícia

  • Brasil recebe mais de 1 milhão de doses da vacina da Covid-19
  • As doses vieram por meio do consórcio global Covax Facility
  • As vacinas são da Oxford/AstraZeneca
  • Mais 1,9 milhão de doses devem chegar até o final deste mês

A primeira remessa de vacinas do consórcio global Covax Facility chegou ao Brasil neste domingo, 21 de março, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Neste primeiro lote, o Brasil recebeu 1.022.400 de doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca fabricado na Coreia do Sul. O Ministério da Saúde afirmou que mais 1,9 milhão de doses devem chegar até o final deste mês.

-Publicidade-
Brasil recebe mais de 1 milhão de doses de vacina da Covid-19 (Foto: Freepick)

A Covax Facility é uma aliança global com mais de 150 países criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a Covid-19. A aliança é liderada pela OMS (Organização Mundial da Sáude). Até o momento, o acordo feito com o Brasil prevê a chegada de 42 milhões de doses, como apontado pelo G1.

Desses 42 milhões, 9,1 milhões são doses da vacina Oxford/AstraZeneca devem chegar ao Brasil entre março e abril. Até o momento, porém, apenas 2,997 milhões de doses estão confirmadas, segundo a presidente da Fiocruz Nísia Trindade.

Brasil assina acordo com a Pfizer e Janssen

Brasil assinou na última sexta-feira, 19 de março, contratos para a compra das vacinas das farmacêuticas Janssen (do grupo Johnson & Johnson) e Pfizer. Eduardo Pazuello, Ministro da Saúde, contou durante uma coletiva de imprensa que negociações estavam sendo feitas nos últimos dias e os contratos foram assinados hoje.

Brasil assina acordo para receber vacinas da Pfizer e Janssen (Foto: Getty Images)

Os contratos preveem a chegada de 13,5 milhões de doses da Pfizer no segundo trimestre, a partir de abril, e 86,4 milhões no terceiro, a partir de julho. Já com a Janssen são previstas 38 milhões de doses no quarto trimestre, de outubro a dezembro.

Até o momento, as vacinas que têm registro definitivo na Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e são aprovadas para aplicação na população são a da Pfizer e a da AstraZeneca/Oxford. Já a da Janssen não tem registro definitivo nem autorização para uso emergencial.

As que estão sendo aplicadas atualmente são a da AstraZeneca/Oxford e a CoronaVac, que só possui registro emergencial. A Organização Mundial de Saúde já aprovou o uso emergencial das vacinas da Pfizer e da Janssen. A vacina do grupo Johnson & Johnson é a única entre as que estão sendo aplicadas no mundo que requer somente uma dose por pessoa.

De acordo com a Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos, a vacina Pfizer apresenta uma eficácia de cerca de 92,% após a primeira dose. Segundo o estudo Ensemble desenvolvido pelo Laboratório Farmacêutico Janssen, da Johnson & Johnson, em parceria com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, a eficiência da vacina Janssen foi de 85% na prevenção de casos graves, inclusive entre voluntários com 60 anos ou mais, em todas as regiões do mundo onde o estudo foi conduzido.