Vacinação contra Covid-19 deve começar no primeiro semestre de 2021 em todo Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, totalizando 186 medicamentos que entrarão para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) em 2021

Resumo da Notícia

  • O Governo Federal informou nesta terça-feira, 20 de outubro, que comprará 46 milhões de doses da CoronaVac do Instituto Butantan
  • A vacina é desenvolvida pelo farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o laboratório de São Paulo
  • O imunizante deverá começar a ser aplicado na população no primeiro semestre de 2021

O Governo Federal informou nesta terça-feira, 20 de outubro, que comprará 46 milhões de doses da CoronaVac do Instituto Butantan. A vacina, desenvolvida pelo farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o laboratório de São Paulo, deverá começar a ser aplicada na população no primeiro semestre de 2021.

-Publicidade-
A vacina deve chegar em 2021 (Foto: Unsplash)

Em reunião com os governadores de estado, a União estimou que deve investir cerca de R$ 2,6 bilhões no imunizante até janeiro. Como já havia firmado acordos semelhantes com os medicamentos da AstraZeneca e da Covax, o Ministério da Saúde estima que terá no total 186 milhões de doses disponibilizadas no começo do ano que vem.

A vacina entrará no Programa Nacional (Foto: Unsplash)

O ministro, Eduardo Pazuello, também informou que o imunizante estará presente no Programa Nacional de Imunizações (PNI). “Temos a expertise de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de PNI. As vacinas vão chegar aos brasileiros de todos os estados”, disse.

-Publicidade-

A CoronaVac está na fase final de testes e já demonstrou ser segura, de acordo com resultados obtidos nesta semana. Para ser liberada pela Anvisa, basta que os resultados nos 13 mil voluntários brasileiros comprovem a sua eficácia.

-Publicidade-