Professores serão vacinados contra covid-19 em SP: entenda como vai funcionar

A decisão foi anunciada nesta quarta-feira, 24 de março. Além dos profissionais de educação, também serão imunizados os profissionais de segurança

Resumo da Notícia

  • A partir de 12 de abril, os profissionais da educação serão vacinados contra a covid-19
  • Além deles, os profissionais de segurança também serão imunizados a partir de 5 de abril
  • Veja mais informações sobre as  novas medidas tomadas para o combate à Covid-19

Nesta quarta-feira, 24 de março, o Governo do Estado de São Paulo realizou uma nova coletiva de imprensa para informar novas medidas sobre o combate ao novo coronavírus. Agora, o calendário de vacinação para imunizar a população contra a Covid-19 também inclui professores e policiais. De acordo com o governador João Dória, as vacinas começarão a ser aplicadas nesses profissionais a partir de abril.

-Publicidade-

Além dos profissionais de educação, também serão vacinados em abril, começando no dia 5 do próximo mês, os profissionais de segurança do estado. São eles os policiais militares, policiais bombeiros e civis, polícia científica, agentes de segurança e escolta penitenciária. Os profissionais da educação abrangem desde as creches até o ensino superior.

Vacinação de profissionais da educação em São Paulo

O secretário de educação Rossieli Soares se pronunciou sobre o início da vacinação dos profissionais da educação. “Hoje é um dia de esperança para os profissionais, pais e mães. A educação é o que vai mover a nossa sociedade para outro patamar”. Todos as pessoas relacionadas à escola serão vacinadas, não somente os professores. A prioridade da campanha é a educação básica. Assim, serão imunizadas pessoas a partir de 47 anos de idade.

-Publicidade-
A vacinação de professores no estado de São Paulo se inicia em 12 de abril (Foto: Reprodução Governo de São Paulo)

A primeira etapa de vacinação começa na Educação Infantil ao Ensino Médio e acontece nas Redes Estaduais, Municipais e Privada. Para garantir que não haja fraude de pessoas entrando agora na rede privada de educação, na hora de vacinar será exigido um contra cheque para comprovar que aquela pessoa já atua na rede privada.

Em dezembro de 2020, a deputada Marina Helou, mãe de Martim e Lara, protocolou um projeto de lei que pedia pela vacinação dos profissionais da educação. Com mais de 15 mil assinaturas solicitando a aprovação, a proposta foi confirmada durante a coletiva de imprensa.

“Nós estamos trabalhando com articulações do governo do estado há bastante tempo e já sabia que a vacinação dos professores era uma possibilidade. Fiquei muito feliz em ver que já entrou nesse momento no plano de vacinação”, comemorou em entrevista à Pais&Filhos. “Os benefícios são urgentes, porque trazemos mais segurança para o retorno às aulas. As escolas devem ser as últimas a fechar e as primeiras a abrirem, pois cada dia fechada tem um prejuízo muito grande na vida das nossas crianças e adolescentes. Ainda que abrirmos as escolas sem que todos os profissionais da educação estejam vacinados, aos poucos vamos trazendo mais segurança e também fortalecendo o fato de que a educação é prioridade na nossa sociedade”, completa.

Para Ricardo Almeida, professor há mais de 25 anos em escolas públicas e privadas de São Paulo, pai de Alexandre e Maria Clara, a decisão foi muito importante. “Penso que é imprescindível, estamos também na linha de frente. A decisão é mais do que acertada. Por mais que as escolas estejam seguindo rigorosamente os protocolos, estamos vulneráveis, pois se trata de um doença altamente transmissível e acredito que a possibilidade de contaminação é grande, principalmente nesse momento”.

Antecipação da vacinação de idosos de 69, 70 e 71 anos

O governador João Dória também anunciou que o calendário de imunização de idosos de 69, 70 e 71 anos de idade será adiantado para esta sexta, 26 de março. A coordenadora geral do programa de imunização, Regiane de Paula, comentou sobre a decisão: “Serão 910 mil idosos vacinados”. Regiane também disse que é a vacina do Instituto Butantã que está vacinando todas essas pessoas e que, se tivéssemos mais vacinas diferentes, outras pessoas poderiam já estar sendo imunizadas também.

Entrega de doses ao Ministério da Saúde

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantã, anunciou que mais 2 milhões e 200 mil doses da vacina CoronaVac foram entregues e que, para a próxima semana, está previsto a entrega de mais 8 milhões de doses do imunizante. Assim, em 3 meses, são completas 36 milhões e 200 mil doses da vacina.

Durante a coletiva, o vacinômetro marcou o número de 5 milhões e uma pessoas vacinadas pelo imunizante do Instituto Butantã.

O número de casos, internações e óbitos aumentou (Foto: Reprodução Governo de São Paulo)

O secretário da saúde Jean Gorinchteyn passou algumas informações sobre a 12ª semana epidemiológica do ano. “Hoje temos mais de 12 mil pessoas internadas na UTI. Temos 45% da população em isolamento social, conseguimos diminuir a circulação de 3 milhões de pessoas na rua”, contou.

O número de casos de contaminação aumentou 17,7%. O total de casos de internações também subiu, totalizando um aumento de 18,8%. Como consequência, os óbitos também aumentaram e houve um salto de 35,4% no número de pessoas que morreram por causa da Covid-19.

Outra informação passada pelo governador João Dória foi que os serviços essenciais, como mercados pequenos e supermercados, não devem ser fechadas no estado, mas reforçou a importância de apenas uma pessoa de cada família ir até o local para estocar suprimentos necessários.