Vídeo emocionante! Thales Bretas dá lição sobre paternidade solo: “Não existe pai gay, existe ser pai”

O médico perdeu o marido e ator Paulo Gustavo para a covid-19 em maio deste ano. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele fez um lindo desabafo sobre a vida ao lado dos filhos do casal

Resumo da Notícia

  • Thales Bretas perdeu Paulo Gustavo, marido e pai de seus filhos, para a covid-19 em maio deste ano
  • O médico fez um vídeo sobre a vida após a morte de Paulo
  • Em desabafo, ele ainda mandou a real sobre a família e a criação dos filhos
  • Paulo e Thales são pais dos gêmeos Romeu e Gael, de 2 anos

Thales Bretas apareceu em novo vídeo falando da vida em família após a morte de Paulo Gustavo. O ator, que morreu por complicações da covid-19 em maio deste ano, era pai de Romeu e Gael, de 2 anos. Em vídeo emocionante, Thales contou sobre a vida como pai gay e solo, na missão de criar as crianças após a morte do marido.

-Publicidade-

“Eu sempre sonhei em ser pai. Construir uma família, sabe?” iniciou o médico o relato. “Quando eu me assumi gay, esse sonho foi ameaçado pelo preconceito da sociedade. E eu cheguei a acreditar que podia não ser possível para mim. Só que aí eu conheci Paulo Gustavo, e tudo mudou”.

Thales desabafou sobre a paternidade (Foto: Reprodução/ Youtube)

Thales contou que o ator também sempre sonhara em ser pai – e que, por causa disso, os dois decidiram unir forças para construir a tão sonhada família. “Juntos a gente viu uma força que podia quebrar com esse paradigma da ‘família tradicional’. Depois que a gente se uniu, a gente percebeu que o que importa é o amor – e ter filhos era só multiplicar o amor que a gente já era”, disse ainda.

Sobre a paternidade e a criação de “dois filhos para dois pais”, Thales conta que foi um dos maiores desafios de sua vida e de seu casamento – até o falecimento de Paulo. “É uma responsabilidade diferente ser pai sozinho”, desabafou.

Mesmo assim, ele aproveita o espaço de desabafo para ressaltar a importância da sensibilidade na criação dos filhos. “Eu era chamado de chorão. E eu cheguei a pensar que essa sensibilidade era por eu ser gay – mas esse também é um preconceito que passam para a gente. No fim das contar, sensibilidade não é nem masculina, nem feminina: aí que eu percebi que ser homem é também sentir, porque o ser humano sente. E é assim que quero criar meus filhos: para ele serem fortes o suficiente para se sensibilizarem”.

Thales e Paulo são pais de Romeu e Gael (Foto: Reprodução / Instagram @thalesbretas)

Thales ainda completa, “Não existe pai gay. Existe ser pai. E ser pai é cuidar, educar, acolher e crescer junto. Então não tem diferença se é homo ou heterossexual. O que transforma é o amor”. Para conferir a declaração em detalhes, clique aqui! Confira o vídeo: