Vídeo mostra homem carregando a avó de 102 anos no colo para tomar dose de reforço da vacina

Erick Farias precisou carregar a avó no colo para tomar dose de reforço da vacina contra Covid-19, por falta de drive thru, no Distrito Federal

Resumo da Notícia

  • Homem carregou avó nos braços para tomar dose reforço da vacina contra Covid-19
  • O órgão confirma o ocorrido e justifica ter oferecido cadeira de rodas ao neto para locomoção
  • A Diretoria de Atenção Primária da Região Sudoeste pede desculpas e afirma que as orientações sobre atendimentos assim são direcionadas as equipes de saúde.

Nesta última quarta-feira (22), Erick Farias, fez um vídeo como forma de denúncia, por precisar carregar a avó de 102 nos braços para tomar a terceira dose da vacina contra a Covid-19, devido a falta de um drive thru para o atendimento. O caso ocorreu na UBS 03 Recanto da Emas, em Brasília.

-Publicidade-

“O posto não me deixou entrar com minha avó para vacinar, porque disse que não era drive-thru. Isso aqui é uma vergonha! A UBS 3 se recusou a vacinar minha avó, sendo que a primeira dose e a segunda, ela conseguiu tomar no carro, no estacionamento. E eles se recusaram a deixar o carro estacionar para vacinar a senhora de 102 anos”, afirmou o neto no vídeo. Os funcionários do local questionarem a denúncia. Erick afirmou que a avó já havia sido vacinada outras vezes no estacionamento, devido a condição de saúde, e que era “uma questão de consciência”.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde do Distrito Federal, confirmou o ocorrido ao portal de notícias UOL, mas acrescentou ter oferecido uma cadeira de rodas ao neto da idosa. No entanto, ele recusou a oferta e decidiu carregá-la. “A unidade não possui drive-thru para vacinação. Assim, a equipe prontamente ofereceu uma cadeira de rodas para transportar a paciente até o local de aplicação da dose. No entanto, o familiar recusou, levou a paciente nos braços e filmou toda a ação”, relatou o órgão por meio da Diraps (Diretoria de Atenção Primária da Região Sudoeste).

“As vacinas necessitam de manejo e acondicionamento adequados, devem permanecer na temperatura indicada pelo fabricante e não é recomendado o transporte em bandejas para aplicação em outro local”, finalizaram. A Diretoria de Atenção Primária da Região Sudoeste pede também desculpas, e afirma que as orientações sobre atendimentos específicos são direcionadas aos profissionais de saúde.

Assista ao vídeo: