Vídeo: turista americano registra avalanche pouco tempo antes de ser atingido

O americano Harry Shimmin estava fazendo uma visita guiada na cordilheira de Tian Shan, no Quirguistão, quando gravou a avalanche se aproximando do grupo em que fazia parte. O vídeo publicado nas redes sociais viralizou na Internet

Resumo da Notícia

  • Um turista conseguiu gravar uma avalanche pouco tempo antes de ser atingido
  • Ele compartilhou o vídeo nas redes sociais
  • O mesmo contou que se o grupo de turistas tivesse andado por mais cinco minutos talvez não sobreviveriam

Já imaginou gravar uma avalanche pouco antes de te atingir? Foi o que aconteceu com o turista Harry Shimmin, que estava viajando pela Ásia Central, em uma visita guiada pelo Quirguistão, na cordilheira de Tian Shan.

-Publicidade-
O americano começou a gravar a avalanche pouco tempo antes de ser atingido
O americano começou a gravar a avalanche pouco tempo antes de ser atingido (Foto: Reprodução/ Instagram/ @harryshimmin)

Segundo a publicação no Instagram feita por Harry, o grupo era formado por nove britânicos e um americano, e estavam no ponto mais alto do passeio quando ele decidiu se separar para tirar algumas fotos no topo de uma falésia. Ele também contou que enquanto tirava as fotos começou a ouvir o som do gelo quebrando e começou a gravar o vídeo.

“Sim, deixei para o último segundo para me mover, e sim, sei que teria sido mais seguro ir para o abrigo imediatamente”, disse Harry, afirmando saber do risco que corria. Contudo, quando foi atingido pela neve, ficou com tontura e achou que iria morrer: “Quando acabou, a adrenalina me atingiu com força. Eu estava coberto por uma pequena camada de neve sem nenhum arranhão”.

Apenas duas pessoas do grupo chegaram a sofrer algum ferimento com a avalanche, sendo uma mulher que lesionou o joelho e um homem que ficou com hematomas pelo corpo. Os dois receberam atendimento médico: “Todo o grupo estava rindo e chorando, feliz por estar vivo. Foi só mais tarde que percebemos a sorte que tivemos”. Além disso, Harry também escreveu que se o grupo tivesse feito mais cinco minutos de caminhada, talvez não tivessem a mesma sorte.