Videogames podem unir famílias e nós mostramos a você como se divertir com seu filho

A Afterverse nos explica como os jogos podem unir as família e até ensina alguns dialetos dos ‘gamers’

Resumo da Notícia

  • Videogames podem unir família
  • Os videogames atualmente fazem parte da rotina de muitas pessoas
  • Você já jogou ou joga algum game

Os videogames atualmente fazem parte da rotina de muitas pessoas, os jovens principalmente jogam diariamente ou com frequência. Muitos pais acreditam que videogames são má influência para os filhos ou que os afastam de alguma forma, quando na verdade é o contrário.

-Publicidade-

Iremos mostrar a você como o videogame pode unir as famílias e se tornar algo saudável e divertido para todos. Segundo a Afterverse, uma empresa que desenvolve e publica games, criando universos interativos que derrubam barreiras físicas, culturais e sociais, os videogames são uma excelente chave para a conexão dos pais com os filhos.

Videogames estão cada vez mais presente na vida de todos
Videogames estão cada vez mais presente na vida de todos (Foto: Shutterstock)

“Há alguns anos, quando se falava de gamers, existia uma associação a um comportamento específico, um nicho de atividade. Isso foi se transformando até virar um hobby. Quando falamos sobre pessoas jogadoras hoje, estamos falando da população como um todo. Você pode até não se identificar como gamer, mas é muito provável que tenha pelo menos um ou dois jogos no seu celular para se divertir. O desenvolvimento da tecnologia, a popularização dos celulares e o desenvolvimento de jogos cada vez mais diversos foram fatores decisivos para que essa mudança ocorresse”, explica Julia Januário, Gerente de Community da Afterverse, empresa brasileira desenvolvedora de jogos, entre eles, o PK XD, sucesso entre crianças e jovens de vários países.

O PK XD é um jogo em formato sandbox – mundo aberto para a imaginação – desenvolvido pela empresa de games do Grupo Movile, Afterverse, na ousada missão de oferecer universos criativos, interativos e inclusivos, capazes de conectar pessoas de várias idades e interesses ao redor do mundo.

Videogames permitem fortalecer a criatividade e imaginação
Videogames permitem fortalecer a criatividade e imaginação (Foto: Unsplash)

O lado bom de jogar videogame é poder se conectar com pessoas do mundo todo, conhecer outras culturas, desenvolver habilidades motoras, mentais, e muitas outras. E muitas vezes os jogadores criam seu vocabulário próprio para cada estilo de jogo, a Afterverse nos listou alguns termos muito utilizados online que pode ajudar você a se conectar com seu filho.

  • GG: Good Game
  • GLHF: Good Luck Have Fun
  • AFK: Away From Keyboard (longe do teclado, indisponível)
  • Nerfar: quando o desenvolvedor do jogo diminui a força de algum personagem ou item, a fim de balancear o nível do jogo
  • Buffar: contrário de Nerfar, é quando o desenvolvedor melhora as habilidades do personagem ou item
  • Drop: item que o jogador derruba quando perde/morre OU que cai do baú
  • Farmar: ficar jogando com o intuito de coletar itens no jogo
  • Grind: ficar jogando com o intuito de subir de nível no jogo
  • Loot/Lootear: buscar e/ou ganhar itens no jogo
  • Noobie: iniciante (atenção: usado em tom pejorativo)
  • Rushar: quando o jogador corre para o objetivo/atacar o oponente, sem ter muita experiência ou não estar totalmente preparado
  • Smurf: quando um jogador muito experiente começa uma conta secundária no jogo, para “ganhar mais fácil” de jogadores iniciantes

Segundo pesquisa realizada pelo NPD Group, cerca de 82% da população do Brasil entre 13 e 59 anos joga, seja em computadores, videogames ou celulares. Jogos são uma verdadeira experiência social e coletiva, pois permitem que as pessoas se expressem, usem a criatividade e se conectem ao redor de objetivos e interesses comuns. Esse efeito já era conhecido entre os gamers mais familiarizados, mas foi experimentado por mais pessoas e com mais intensidade durante o período de distanciamento social, onde plataformas se tornaram o lugar ideal para aproximar pessoas. Hoje, eles são uma forma eficiente de pais se conectarem com seus filhos e dividirem momentos de lazer.