Vitamina D: o que você precisa saber para manter seu filho saudável

Ela é essencial para ossos saudáveis, um sistema imunológico forte e tem uma série de benefícios! Saiba como manter a saúde da sua família em dia

Resumo da Notícia

  • A vitamina D é essencial para ossos saudáveis
  • Além disso, ajuda para um sistema imunológico forte e tem uma série de benefícios!
  • Saiba como manter a saúde da sua família em dia

A vitamina D é essencial para ossos saudáveis ​​e um sistema imunológico forte, mas é difícil saber se seu filho está recebendo quantidades suficientes. “Quase 90% de todos os americanos têm deficiência de vitamina D”, aponta Kecia Gaither, M.D., MPH FACOG, Diretora de Serviços Perinatais da NYC Health + Hospitals / LINCOLN. “Absorver vitamina D o suficiente sempre foi um desafio para a maioria das pessoas que priorizam a proteção da pele em relação à exposição ao sol, mas agora, com o isolamento social, obter vitamina D diretamente do sol é ainda mais desafiador”, diz.

-Publicidade-
É preciso ficar de olho na quantidade para se manter saudável! (Foto: Getty Images)

Para te ajudar na missão de criar filhos saudáveis, aqui estão algumas dicas de como garantir que seu filho receba a quantidade necessária de vitamina D mesmo durante o isolamento social.

Para entender melhor: por que a vitamina D é importante?

Ela tem inúmeros benefícios para crianças e adultos. Está associada a ossos mais fortes, sistema imunológico fortalecido, menor risco de parto prematuro e possível prevenção de doenças.

-Publicidade-

Ossos mais fortes: quando se trata da sua saúde óssea e a do seu filho, você provavelmente pensa no cálcio. Mas também há outra coisa que é extremamente importante de se pensar: a vitamina D! Na verdade, o corpo só consegue absorver o mineral que fortalece os ossos quando há vitamina D suficiente, de acordo com o estudo publicado na JAMA Pediatrics.

Durante a infância e adolescência as crianças desenvolvem os ossos, justamente por isso, é extremamente importante ficar de olho no cálcio e na vitamina D durante esse período. Em casos raros, as crianças podem ficar tão carentes da vitamina que desenvolvem uma doença chamada raquitismo, quando os ossos ficam fracos e moles e as pernas parecem arqueadas.

(Foto: Shutterstock)

Sistema imunológico fortalecido: ela também desempenha um papel vital no sistema imunológico, de acordo com a Dra. Gaither. Além do mais, pesquisas publicadas mostram que níveis de vitamina D de 50 nanogramas por mililitro (ng/ml) parecem proteger contra infecção respiratória viral – o que é especialmente importante em um período como o que estamos vivendo: a pandemia do coronavírus.

Menor risco de parto prematuro: Os benefícios dela se estendem às mulheres grávidas. “A pesquisa mostra que o risco de parto prematuro diminui em 60% quando os níveis de vitamina D no sangue são de 40 ng / ml ou mais, um nível que pode ser particularmente importante contra a Covid-19”, diz o Dra. Gaither.

Prevenção de doenças: os pesquisadores também estão estudando se a vitamina D desempenha um papel na prevenção de doenças como câncer e doenças cardíacas – embora o National Institutes of Health (NIH) diga que não há evidências suficientes para mostrar causa e efeito.

Ela ajuda as crianças a ficarem mais saudáveis (Foto: Getty Images)

Qual a quantidade de vitamina D que as crianças devem receber?

A Academia Americana de Pediatria (AAP) afirma que a quantidade ideal equivale a 400 Unidades Internacionais (UI) por dia de vitamina D para crianças menores de 12 meses e 600 UI por dia para mais velhas e adolescentes. Para usar outra medição, “a maioria dos especialistas e cientistas concorda que um nível de sangue de 40-60 ng/ml é o intervalo ideal para a vitamina D que pode ajudar a reduzir doenças em até 50% ou mais”, diz a Dra. Gaither.

Os bebês que são amamentados total ou parcialmente devem receber 400 UI de suplementos de vitamina D (na forma de gotas) até que estejam totalmente desmamados e bebam leite fortificado com essa vitamina, de acordo com o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos). A organização alega que o leite materno não contém vitamina D suficiente para atender às necessidades dos bebês.

Também é importante observar que não há evidências de que obter doses elevadas de vitamina D tenha algum benefício para a saúde. O NIH (Institutos Nacionais da Saúde dos Estados Unidos) diz que níveis excessivos podem contribuir para sintomas como perda de peso, arritmias cardíacas e níveis elevados de cálcio no sangue.

(Foto: Getty Images)

Quais são as melhores fontes de vitamina D?

Infelizmente, poucos alimentos são naturalmente ricos em vitamina D. Uma porção de cerca de 85g de salmão, por exemplo, contém tudo o que as crianças precisam em um dia, mas a mesma porção de atum enlatado tem menos da metade. Os ovos contêm uma pequena quantidade de D (na gema), mas as crianças precisam comer cerca de 10 por dia para atender às necessidades diárias. Os cogumelos contêm naturalmente vitamina D e alguns são tratados com luz ultravioleta para aumentar o teor de vitamina.

Alimentos fortificados como leite, iogurte, cereais e suco de laranja podem parecer uma maneira mais fácil de ajudar seu filho a obter a vitamina D diária. Um copo de leite de vaca fortificado contém cerca de 130 UI de vitamina D; uma xícara de suco de laranja fortificado tem 142 UI. Verifique os rótulos dos cereais e iogurtes que você compra para ver se eles são fortificados.

Felizmente, as crianças também podem obter vitamina D por meio da exposição à luz solar, porque o sol converte uma substância química da pele em uma forma ativa dessa vitamina. De acordo com a AAP (Academia Americana de Pediatria), mesmo que as crianças usem protetor solar (o que devem sempre!), muitas receberão quantidade de luz solar no dia-a-dia suficiente para produzir a vitamina D.

A Dra. Gaither afirma que as crianças podem obter vitamina D com segurança por meio de suplementos, que estão prontamente disponíveis e não costumam ser muito caros. Eles podem ser especialmente necessários se você vive em lugar com clima nublado, invernos longos e não fica muito ao ar livre, ou se sente que a dieta de seu filho está com poucos alimentos que são ricos dessa composição. Mas, antes de tudo, é importante pedir informações ao pediatra do seu filho.

Ela é super importante para sua saúde! (Foto: Getty Images)

App Pais&Filhos

Tem novidade na área: o novo aplicativo Pais&Filhos Interativo! Agora você pode ler conteúdos exclusivos, feitos com muito carinho pela equipe da redação da Pais&Filhos com toda a credibilidade, comprometimento e bom humor de sempre, e ainda testar seus conhecimentos sobre os principais assuntos do universo da parentalidade.

Já que ninguém cria filho sozinho, a Pais&Filhos se enxerga como parte da sua rede de apoio e para isso, disponibilizamos no aplicativo informações de qualidade sobre todas as fases da vida da criança, seja você pai ou mãe, grávida, ou até mesmo se você ainda for tentante.

Além disso, a plataforma ainda oferece quizz de perguntas e respostas para você testar seus conhecimentos sobre os mais diversos assuntos deste universo. Ao fazer o teste, você acumula pontos, e de quebra pode trocar por prêmios.

O Pais&Filhos interativo está disponível para iOS e Android, basta acessar a PlayStore ou a Apple Store direto do seu celular, baixar e fazer seu cadastro.

-Publicidade-