Vítima mais jovem a morrer por coronavírus no Rio de Janeiro fazia uso de cloroquina

Kamylle Ribeiro, de 17 anos, teve os primeiros sintomas da doença em março e durante a internação, recorreu ao tratamento com o medicamento

Resumo da Notícia

  • Kamylle Ribeiro foi a vítima mais jovem da doença no Rio de Janeiro
  • Ela e a mãe foram contaminadas pelo novo coronavírus
  • Durante a internação, ela fez uso de cloroquina
  • O hospital afirma que seguiu todos os protocolos
Ela usou o medicamento enquanto estava no hospital (Foto: Getty Images)

Na última terça-feira, 14 de abril, a vítima mais nova a morrer pelo novo coronavírus foi uma jovem de 17 anos, no Rio de Janeiro. Kamylle Ribeiro recebeu tratamento à base de cloroquina no Hospital Moacyr do Carmo, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ela ainda ficou internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) por duas semanas.

-Publicidade-

De acordo com a prefeitura da cidade, assim como informa a Uol, o tratamento seguiu o “protocolo do Ministério da Saúde para uso do mesmo (do medicamento)”. Mesmo fazendo uso do remédio, ainda não é comprovado cientificamente a eficácia para pessoas infectadas pelo vírus.

Ela veio à óbito 20 dias depois da internação (Foto: Getty Images)

A mãe de Kamylle também testou positivo para a doença e as duas começaram a ter os primeiros sintomas no início de março. Ambas ficaram em quarentena dentro de casa. Cerca de 20 dias após a internação, infelizmente a jovem não resistiu. Já a mãe, está recuperada, mas ainda em isolamento.

-Publicidade-

Antes de perder a filha, Germaine havia sofrido com o óbito do pai, por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Os amigos da adolescente descreveram-na como muito companheira da mãe e carinhosa com o irmão mais novo. Ela estava estudando para o vestibular de medicina.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!