Viúva entra em desespero ao reconhecer homem morto com tiro na cabeça: “É meu marido!”

A Alessandra Moraes Luz veio de São Paulo para reencontrar com o marido no Rio de Janeiro. Mas, foi surpreendida ao ver que o ele tinha falecido após ataque em assalto

Resumo da Notícia

  • A mulher estava desesperada em busca pelo marido, quando de maneira inesperada, descobriu que ele tinha sido assassinado
  • O farmacêutico foi morto após ser abordado em um assalto à mãe armada
  • Os criminosos fugiram do local

Uma mulher entrou em desespero após reconhecer que homem morto jogado no chão, era o seu marido. O homem morreu baleado na cabeça em um assalto na Praça Carlos Paolera, localizada no bairro da Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O caso aconteceu na manhã desta sexta-feira, 25 de março. A Delegacia de Homicídios da Capital (DCH) está investigando o caso.

-Publicidade-

Segundo uma das testemunhas que estava no local, os assaltantes roubaram o veículo do Carlos Alexandre Resende, de 40 anos. Logo após o levarem o carro, mataram o homem, que era farmacêutico. “Horrível aquela cena”, contou.

Próximo do local, uma mulher estava no telefone tentando falar com o marido. Visto que, ela o encontraria com o homem na praça, que fica ao lado da Igreja São Francisco Xavier. A Alessandra Moraes Luz tinha acabado de chegar de São Paulo e estava prestes a encontrar com o esposo – mas, em determinado momento, se desesperou após não receber mais notícias do marido.

A Alessandra Moraes Luiz se desesperou após o marido não atender ligações de telefone (Foto: Reprodução/Fabiano Rocha/Agência O Globo)

Como a Alessandra estava próxima do local do crime, além de estar em um estado de grande choro e tristeza – os profissionais de reportagem fizeram uma abordagem  e questionaram se ela tinha algum parentesco com o homem morto após o assalto.

“Não tem nada a ver com isso não. Estou esperando o meu marido, só estou preocupada. Eu estou chorando porque meu marido não atende. Eu estou nervosa já”, disse em entrevista ao jornal O Globo.

Os jornalista que estavam presente no local conseguiram fazer com que os policiais conversassem com a Alessandra. Após isso, ela mostrou a foto do marido, o Carlos Alexandre. Neste momento, o saco plástico que cobria o corpo do farmacêutico levantou com o vento, de maneira a expor o tênis que a vítima usava. Sendo assim, foi possível reconhecer que o homem morto, ela o marido da Alessandra.

“É meu marido! É meu marido!”, disse a viúva. Em nota, a Polícia Militar disse que a equipe do 6º BPM foi informada sobre o caso e que irão começar com as investigações.