Família

Você já passou por isso? De repente o filho de Vivian não tinha mais onde estudar!

O susto foi grande, mas tudo deu certo no final

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: arquivo pessoal)

(Foto: arquivo pessoal)

Vivian Araújo, psicóloga na Apae e mãe de Gustavo, achou que tudo daria errado quando a escola informou que não abriria turma para a série do filho dela. Imagina o susto! Você já passou por algo parecido? Leia o depoimento dela abaixo:

“Em setembro do ano passado fiz a matrícula do meu filho, Gustavo, no ensino fundamental em uma escola aqui de Paulínia, São Paulo. Paguei o valor estipulado pela instituição e em dezembro eles me deram a lista de materiais. Quando janeiro chegou, paguei a mensalidade e comprei todo o material e uniforme. Na preparação para a volta às aulas tudo estava pronto e parecia que as coisas estavam no caminho certo.

Fui informada que as aulas começariam dia 29 de janeiro. Eu nem imaginava que numa quarta-feira, poucos dias antes do início das aulas, a escola me ligaria com uma péssima notícia. Eles disseram que não abririam a turma, porque meu filho tinha sido a ÚNICA criança inscrita. Como assim??? Foi a minha primeira pergunta, porque, Do nada, depois de gastar dinheiro com matrícula, mensalidade, uniforme e material escolar de repente meu filho não tinha mais lugar para estudar. imagina meu desespero! Quanto tempo eu teria para resolver se não desse certo? A gente estava a praticamente dois dias do início das aulas em todas as escolas. Como eu iria conseguir outra vaga para o meu filho? Era o primeiro ano do Gustavo no ensino fundamental, eu já estava preocupada com diversas questões, principalmente porque meu filho é uma criança tímida e introvertida.

Sempre teve mais dificuldade em se relacionar com as outras crianças por ser mais tímido. Eu tinha escolhido essa escola justamente por ser pequena e com menos alunos na turma, com o objetivo de facilitar os relacionamentos dele. A escola chegou a oferecer uma van para levar Gustavo a outra unidade, que é em Campinas, cidade vizinha. Fiquei sem chão!

Conversei com o pai do meu filho e decidimos que mandá-lo estudar tão longe da gente estava fora de cogitação. Além do cansaço, meu filho  ficaria muito longe. Pedi o dinheiro de volta. Eu não sabia o que fazer e a nossa cidade é pequena, não temos muita opção de escolas aqui. E é claro que para mim pareceu impossível arranjar outro lugar em tão pouco tempo, mas mesmo assim corri atrás de outra instituição e, felizmente, encontrei!

O mais legal é que foi amor à primeira vista entre meu filho e a nova escola. E foi uma surpresa, porque é uma escola bem maior e eu, que já estava preocupada também com o início do ensino fundamental, pensei: vai ser mais difícil ainda, porque ele é tímido. Mas não, ele amou – imagina a minha felicidade! Hoje meu filho fala com prazer da nova escola e agora, a cada oportunidade que tem, conta sobre o quanto ama a nova rotina. Até começou a compartilhar mais coisas que acontecem na escola com a gente. Parece que Deus fez uma manobra para atender um desejo do Gustavo que eu não conhecia. Deu tão certo que eu nem me lembro do desespero que eu senti antes”.

Leia também:

Uau! Mulher se torna mãe aos 64 anos

Mãe enfrenta luto e dá lição de vida sobre não desistir de engravidar

Só vivendo mesmo! Após passar pela maternidade, filha escreve carta à mãe: “você estava certa!”

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não