Will Smith desabafa sobre pai violento em trecho do novo livro: “Definiu quem sou hoje”

O ator que é um dos de maior sucesso de toda a Hollywood está lançando a autobiografia ‘Will’ – que chegou às livrarias na última terça-feira, 9 de novembro

Resumo da Notícia

  • Will Smith desabafou mais uma vez sobre pai violento
  • Desta vez, o ator expôs seus sentimentos em trecho de novo livro, 'Will'
  • Das telas para a música, e agora para a escrita, a autobiografia de Will Smith chegou às livrarias na última terça-feira, 9 de novembro

Will Smith, aos 53 anos de idade, está lançando uma autobiografia chamada ‘Will’. Pela editora ‘BestSeller’, o livro chegou às lojas na última terça-feira, 9 de novembro e, nele, o ator falou mais uma vez sobre os impactos do pai violento na infância e desenvolvimento pessoal.

-Publicidade-

“Sempre pensei em mim mesmo como um covarde”, começa ele, em trecho da obra. “A maior parte das minhas memórias de  infância têm a ver comigo sentindo algum tipo de medo —  medo de outras crianças, medo
de me machucar ou de me sentir constrangido, medo de ser visto como fraco. Quanto eu tinha nove anos, vi meu pai socar a minha mãe na lateral da cabeça com tanta força que ela desmaiou. Eu a vi cuspir sangue. Aquele momento, naquele quarto, mais do que qualquer outro da minha vida, provavelmente definiu quem eu sou hoje”.

Willard era pai de Will e faleceu em 2016
Willard era pai de Will e faleceu em 2016 (Foto: Reprodução/ Instagram)

Willard Carrol Smith era pai de Will e morreu em 2016. Sobre isso, o ator ainda lamenta nunca ter enfrentado o pai, “Em tudo o que tenho feito desde então — os prêmios e reconhecimentos, os holofotes e a  atenção, os  personagens e as risadas  —  há uma série de pedidos sutis de desculpa à minha mãe pela minha falta de ação naquele dia. Por ter falhado com ela naquele momento. Por ter falhado em enfrentar o meu pai. Por ser um covarde”.

Will Smith também usa o espaço para falar sobre autoconhecimento e evolução daquele momento até hoje. “Nos últimos trinta anos, assim como todo mundo, tenho lidado com fracassos, perdas, humilhação, divórcio e morte. Tive minha vida ameaçada, meu dinheiro roubado, minha privacidade invadida, minha família desfeita — e todos os dias, mesmo assim, eu me levantei, virei concreto e coloquei mais um  tijolo. Não importa pelo que você está passando, sempre há outro tijolo bem ali na sua frente, esperando para ser assentado. A única pergunta é: você vai se levantar e cuidar disso?”.