15 alimentos que a grávida não deve comer (ou pelo menos evitar)

Alguns deles são perigosos para a saúde da mãe e do bebê. Veja a lista completa do que você deve evitar ou tirar de vez do seu cardápio durante a gestação

Alimentos que a grávida deve evitar (Foto: iStock)

Na descoberta da gravidez, são só alegrias. Mas os noves meses que te esperam envolvem cautela e cuidados do que você pode ou não comer. Na hora que o estômago roncar, é importante ficar de olho nos rótulos e, principalmente, nos ingredientes de cada produto para se ver livre das bactérias e infecções presentes em alguns alimentos. Afinal, elas podem ser muito prejudiciais para a sua saúde e, principalmente, para a do bebê.

-Publicidade-

Para manter uma gravidez saudável, opte por um cardápio variado com ingredientes frescos e selecionados, sem esquecer das proteínas, carboidrato e vitaminas. Além de substâncias tóxicas como o álcool e o excesso de açúcar, alimentos como peixes crus e frutas e legumes mal lavados devem ser evitados. Apresentamos um guia completo com os alimentos para evitar ou tirar de vez do seu cardápio durante a gestação:

Ovo

Uma rica fonte de proteína. Esse alimento é ótimo e versátil para as mães que não consomem diariamente carne. Diferente dos outros alimentos, o ovo pode ser consumido com moderação. Mas com bastante atenção ao preparo, pois o risco de salmonela é enorme quando o ovo é consumido cru ou mal cozido. Por isso, pegue a panela e a frigideira e esteja preparada para cozinhar ou fritar bem os ovos quando for comê-los.

-Publicidade-

Frutos do mar

É melhor abolir do cardápio peixes, lagostas, camarões, lulas e todos os outros frutos do mar. Isso porque o mau preparo desses alimentos pode causar infecções. Fora esse problema, alguns peixes de rio estão contaminados com altor teor de mercúrio. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o valor permitido é de 0,5mg/kg, para adultos com 60 kgs. A ingestão dessa substância química, em excesso, causa danos cerebrais, tremores, aborto espontâneo e problemas no desenvolvimento do feto.

Frutas e vegetais crus

Lave tudo antes de consumir, mesmo as frutas com cascas. Corte as partes danificadas ou machucadas quando possível, já que as bactérias podem proliferar nessas áreas. O risco de toxoplasmose também é maior ao consumir produtos agrícolas não lavados.

Peixe cru

Pode causar intoxicação alimentar pelos riscos de parasitas e bactérias.

Carne crua

Se você gosta do churrasco pingando ou pelo menos vermelhinho, pode abrir mão durante 9 meses: as carnes mal passadas podem causar toxoplasmose, doença que traz riscos sérios ao bebê. Para prevenir qualquer risco, peça seus filés, bifes e hambúrgueres muito bem-passados.

Frango cru

Deve ser evitado em todo momento, ainda mais durante a gravidez. Comer ou entrar em contato com superfícies que tiveram frango cru pode transmitir salmonela, até mesmo o frango da noite anterior deve ser aquecido ou cozido novamente para destruir qualquer vestígio.

Queijo não-pasteurizado

Todos os especialistas concordam que cálcio é ótimo tanto para você quanto para o seu bebê, mas os queijos mofados (como o brie e o queijo azul) podem conter listeria, se forem feitos com queijo não-pasteurizado. Pergunte ao produtor para confirmar.

Sucos não-pasteurizados

Eles podem conter bactérias. Consulte o rótulo e tenha certeza de que as bebidas que você ingere são pasteurizadas.

O que a grávida não deve comer (Foto: iStock)

Patês

Contém muita vitamina A e não são bons para o desenvolvimento do bebê. Patês de fígado são um alto risco.

Sal

Alimentos conservados no sal ou com altor teor de sódio devem ser abolidos do cardápio das gestantes. Além de causar inchaço ou retenção de líquidos, esses produtos agravam o quadro de hipertensão, nas mulheres que já têm tendência.

Açúcar

Não tem problema em substituir o açúcar por adoçantes, mas antes de fazer a troca, a gestante deve ler atentamente o rótulo desse produto. Os adoçantes que estão liberados são sucralose e stévia. O uso dos adoçantes de sacarina e aspartame provoca má formação fetal, pois eles são teratogênicos, uma substância que altera a célula fetal.

Cafeína

Toda grávida sabe (ou deveria), mas não custa nada enfatizar que produtos a base de cafeína (café, chás, refrigerantes a base de cola, energéticos) são altamente estimulantes, além de poderem provocar taquicardia no bebê. Não se engane: os cafés descafeinados contêm 30% de cafeína.

Chocolate

Não tem muita cafeína em chocolates se comparado a quantidade que tem no café. Então, um pedaço de chocolate não é problema. Mas mantenha os olhos nos hábitos de café ou chá.

Canela

Algumas versões dizem que a canela pode gerar aborto, mas não há estudos que comprovem isso. Na dúvida, os especialistas aconselham que não consuma a especiaria durante a gravidez.

Bebidas alcoólicas

Existem muitos estudos que afirmam ser proibido para mulheres grávidas, até mesmo para aquelas que pensam em ter filhos. De qualquer forma, as bebidas alcoólicas devem ser evitadas porque o álcool se acumula no organismo do feto, que não tem a capacidade de eliminar essa substância do corpo, podendo causar parto prematuro, atraso no crescimento e malformações cardíacas. Consulte o seu médico para saber o que ele acha melhor.

Se for comer fora, fique esperta nessas dicas:

  • Sempre peça a comida bem cozida, especialmente se contiver carne, peixe ou ovos.
  • Siga a regra das duas horas: se você estiver comendo marmita de casa, certifique-se de colocá-la em uma geladeira dentro de cerca de duas horas de ser servido. Isso impede o crescimento de bactérias.
  • Nunca deixe a sua comida no carro quente e abafado durante muito tempo. As bactérias podem crescer muito rápido em ambientes quentes.
  • Fique longe das comidas não tão saudáveis, como frituras, qualquer coisa com muito açúcar, gordura ou sódio, ou comidas que podem te deixar desconfortável.

 

-Publicidade-