Gravidez

5 preocupações que surgem nos momentos finais da gravidez

É comum as gestantes ficarem preocupadas com os cuidados do bebê

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

shutterstock_348136547

É comum as gestantes ficarem preocupadas se darão conta de um recèm-nascido (Foto: Shutterstock)

Existe um momento, durante a gravidez, em que ser mãe passa de uma ideia abstrata a um fato concreto e imediato. E podemos admitir que esse baque é um pouco assustador. Por tudo acontecer de forma muito rápida, é natural que, instantaneamente, você tome consciência de que o ser humano na sua barriga está vivo e respirando e, por isso, precisará de você. Mas eles não vem com manuais de instrução. E agora?

Boas notícias: você não é a única mãe rodeada por medos e ansiedades. De pensamentos estranhos a preocupações legítimas, algumas mães compartilharam com a revista norte-americana “Parents” os seus maiores medos nesse momento. 

1. Um filho arruinará o meu casamento

Um bebê pode parecer um novo ponto permanente do relacionamento e, por diversos ângulos, é a mais pura verdade. Isso explica o porquê das novas mães temerem possíveis influências negativas dos filhos no casamento, por mais que ele seja, aparentemente, inabalável.

“Tente ter um encontro por semana com o seu parceiro e também que cada um de vocês tenha um tempo para si,” sugere Preeti Parikh, assistente clínica e professora no Departamento de Pediatria da Escola de Medicina Monte Sinai. “Vale elogiar o outro e perceber os esforços que cada um está fazendo pelo bebê.”

2. Como farei para construir um vínculo com o meu filho?

Para alguns pais, o amor se inicia na primeira troca de olhares ou então depois de algumas sessões práticas de convivência. Mas, para outros, a conexão não é imediata. Depois de uma gravidez difícil – incluindo descolamento prematuro da placenta, pré-eclâmpsia e cesariana – Melissa Gandini, de Hudson, Massachusetts, pensou que as primeiras semanas como mãe seriam, finalmente, tranquilas. Mas, já no primeiro mês, ela lutou contra a depressão pós-parto. Sem um vínculo afetivo com o seu bebê, ficou imaginando que poderia ser considerada