7 marcos importantes na vida de uma nova mãe

Nem todos os primeiros marcos são apenas para o seu bebê, veja o que esperar agora que sua vida mudou completamente

Alguns marcos da nova maternidade são incrivelmente felizes e outros serão um lembrete de que as mães não são perfeitas e a vida é diferente agora (Foto: Getty Images)

“Alguns marcos da nova maternidade são incrivelmente felizes e outros serão um lembrete de que as mães não são perfeitas e a vida é diferente agora”, diz Heather Gibbs Flett, mãe de três filhos e coautora do The Rookie Mom’s Handbook. Separamos alguns desses momentos para você.

  1. Sentir inveja

Eu não sou uma pessoa supercompetitiva. Então, fiquei surpresa quando meu primeiro grande surto de inveja ocorreu quando meu filho Theo e eu começamos a ir juntos a uma aula de ginástica infantil. Estávamos em um mar de crianças que adoravam estar lá. Eles brincavam lindamente enquanto Theo simplesmente se agarrava à minha perna e mastigava as bolas de borracha.

Era uma sessão semanal de tortura para nós dois. Ele não gostava de ser guiado pelos equipamentos, estava cansado e sem humor para fazer um show para um monte de estranhos. Eu odiava porque meu filho estava infeliz e eu não conseguia mudar isso. Olhar para todos os outros bebês aparentemente perfeitos (e seus pais orgulhosos e sorridentes) me fez ficar deprimida. O que eu estava fazendo de errado?

Agora, olhando para trás, admito que fui excessivamente crítica. “Os pais precisam lembrar que existe uma variedade normal. Se você está constantemente julgando seu filho pelo que ele ainda não realizou, talvez não reconheça todas as coisas maravilhosas que ele conquistou e pode deixar de gostar de ser pai ou mãe”, diz Tasha R. Howe, professora de psicologia na Universidade Estadual Humboldt, em Arcata, Califórnia. Depois que percebi que minha inveja estava transformando algo divertido em um festival de estresse, nos mudamos para uma aula de música à tarde, onde ambos nos saímos muito melhor. Theo ainda não se sentava com calma e ouvia como muitas outras crianças, mas eu simplesmente relaxei. 

  1. Perder um momento marcante

A primeira vez que seu bebê faz alguma coisa é um grande marco memorável. “Eu assisti minha filha mais velha, Maya, por horas esperando que ela rolasse. Ela estava tão perto! E assim que saí da sala, ela fez”, lembra Christine Magner, de Shrewsbury, Massachusetts. 

Claro, é uma chatice quando você sente que perdeu um marco importante na vida de seu bebê. “Mas sempre há o primeiro riso, engatinhada ou passo que você testemunhará”, diz Amy Tiemann, autora de Mojo Mom: Cuidando de si enquanto cria uma família. “Não permita que o arrependimento flutuante ofusque as coisas boas”. Felizmente, Christine se acalmou. “Minha filha Savannah era prematura. Vê-lá se desenvolver normalmente era mais importante do que testemunhar cada marco”.

  1. Fazer uma chamada de emergência para o médico

Nem sei dizer quantas vezes eu disse ao meu marido: “Ele está quente. Pegue o termômetro!”. No entanto, eu não queria ligar para o pediatra desnecessariamente e ser definida como a mãe de primeira viagem louca. Mas então aconteceu: era uma espinha gigante e cheia de pus na bochecha do meu bebê. 

Desta vez, eu tive que fazer a ligação. Meu médico gentilmente me ouviu e disse: “Você pode colocar um pano quente para ajudar a abri-lá, se quiser. Mas não se preocupe. Ele está bem. Os bebês ficam com espinhas. Desliguei, me sentindo um pouco ridícula, mas também grata por ter escolhido um pediatra realmente bom. A partir de então, me senti confortável perguntando a ele sobre qualquer coisa. “Essa primeira ligação em pânico deve fazer você se sentir respeitado e ouvido. Se você se sente julgado, é hora de trocar de médico”, diz a Dra. Tasha.

Mesmo que possa ser assustador ou embaraçoso, os especialistas dizem que compartilhar seus problemas é uma atitude sábia (Foto: Getty Images)
  1. Ferir acidentalmente seu bebê

Se você folhear fotos das primeiras semanas da vida de meu filho, perceberá que ele está usando aquelas luvas de bebê em quase todas as fotos. Eu tinha pavor de aparar as unhas dele, então as escondi. Brilhante, certo? No entanto, depois que eu finalmente as cortei, meus nervos, juntamente com as contorções de Theo, provocaram meu pior medo: eu cortei sua pele e seu dedo começou a sangrar. Nós dois choramos. Jurei dar a meu marido o dever de cortar unhas desde então.

Lembro como me senti naquele momento – horrível, culpada, incompetente – meu coração se confortou quando minha amiga Tracy Kellogg-Brodeur, de Wilmington, Carolina do Norte, contou que suas mãos escorregaram quando ela foi tirar Zoe, sua filha de 9 meses, do carrinho. Zoe caiu de cabeça no chão. Ela ficou bem, mas minha amiga se sentiu tão culpada que nunca contou a ninguém além do marido sobre o incidente por dois anos.

Mesmo que possa ser assustador ou embaraçoso, os especialistas dizem que compartilhar seus problemas é uma atitude sábia. Não estou nem perto da perfeição e não tenho vergonha de admitir isso – e você também não deveria. Hoje, sou responsável pela maior parte de cortar as unhas em casa. Ainda escorrego de vez em quando, mas todos sempre se recuperam rapidamente.

  1. Descobrir seu novo corpo

Fiquei surpresa na primeira vez que vesti uma de minhas camisas favoritas depois de finalmente perder os mais de 30 quilos de peso do bebê. Eu pensei: “Mas o peso se foi! Qual o motivo de estar tão feio assim?”. Ao contrário de mim, Heather Gibbs Flett, de Berkeley, Califórnia, estava feliz com seu novo corpo. Tudo isso porque ela entendeu, e eu finalmente aprendi, que é necessário apreciar pelo o que nosso corpo passou e aceitar as mudanças.

Para Kerry Colburn, mãe de dois filhos, isso significava comprar seu novo estilo. “Depois que perdi o peso do bebê, alistei a ajuda de um personal shopper em uma loja de departamentos”, diz Kerry. “Roupas novas que se encaixam bem são um impulso para o ego. E o momento logo após o nascimento do bebê é quando muitos de nós precisam desse impulso. Ao gastar um pouco de dinheiro e energia comigo mesma, lembrei que nem tudo pode ser para o bebê”.

  1. Ter relações sexuais novamente

Não tenho certeza de quem estava mais nervoso com relação ao sexo após o parto – meu marido ou eu. Ele estava com medo de me causar dor e eu estava preocupada em sentir isso. Muito estresse não contribui para uma noite muito sexy. “Mesmo com minha formação médica, eu estava nervosa”, confessa Hilda Hutcherson, mãe de quatro filhos e professora clínica de obstetrícia e ginecologia na Faculdade de Médicos e Cirurgiões da Columbia University. “Fiz uma episiotomia com meu primeiro filho e, mesmo que meu médico tenha me dito que havia curado, ainda parecia que algo havia acontecido lá embaixo”.

Os conselhos dela e os do meu médico eram os mesmos: use bastante lubrificante e fale sobre a experiência. No final, nosso encontro, juntamente com toda a cautela e discussão cuidadosas, foi estranhamente romântico. Não era sobre orgasmos, era sobre seguir atentamente o que fosse melhor para ambos.

  1. Sair para uma noite de garotas

Planejei minha primeira noite de folga do bebê antes mesmo de parir. Theo tinha 2 meses quando finalmente chegou o dia do show, mas eu estava exausta e nervosa. Deixei o número do pediatra junto com três recipientes fechados de fórmula infantil para meu marido. 

Mas o que mais me lembro daquela noite não foi beber uma cerveja (ou duas), dançar no corredor ou rir com meus amigos. Foi a volta tranquila para casa. Depois de passar os dois últimos meses escondidos com um bebê, eu me sentia sozinha, entediada e desconectada do mundo exterior. Mas com apenas uma noite fora, me senti rejuvenescida. 

Meu momento marcante? Perceber que eu ainda podia ser uma boa amiga, uma pessoa divertida, um pouco turbulenta e um pouco boba, mesmo como mãe.

Leia também:

É mãe de primeira viagem? Saiba o que esperar do primeiro trimestre de gestação

Blogueira desabafa sobre ser mãe de primeira viagem: “Você não sabe o que é a maternidade até ela chegar”

Mãe de primeira viagem descobre que está esperando cinco bebês e desabafa: “Preocupada com o parto”