Alimentação na gravidez: por que de repente tenho aversão algumas comidas?

Você adorava aquele pudim, e agora que está grávida não pode nem pensar nele que já vem aquela sensação estranha! Entenda o motivo e como lidar com essa situação

Resumo da Notícia

  • A gravidez traz mudanças malucas no seu corpo
  • Mas há quem diga que a pior de todas pode ser a de aversões alimentares
  • Veja o porquê ela acontece e aprenda o que fazer sobre isso!

A gravidez faz as mais malucas mudanças no seu corpo, como os tornozelos inchados, os quadris doloridos, os seios sensíveis… Mas você sabe qual pode ser a pior de todas? As aversões alimentares, o reverso da compulsão alimentar. É aquele sintoma que de repente você, que está grávida, não quer nem saber das comidas que antes eram suas favoritas.

-Publicidade-

“Normalmente, cerca de 50% das mulheres grávidas nos EUA experimentarão aversões alimentares de algum tipo durante a gravidez”, afirma Kecia Gaither, especialista certificada em medicina obstétrica; materna e materno-fetal. “Eles geralmente começam – e atingem o pico – nos primeiros três meses de gravidez, correlacionando-se com o aumento, pico e declínio do hormônio da gravidez gonadotrofina coriônica humana (HCG)”, explica.

Saiba como lidar com a aversão alimentar (Foto: Getty Images)

Algumas mulheres, entretanto, experimentam aversões durante toda a gravidez, e até mesmo depois. “Na minha experiência, a gravidez pode alterar a preferência de uma mulher por certos alimentos durante anos e, às vezes, indefinidamente”, diz Elizabeth Ward, MS, RD, autora de Expect the Best: Your Guide to Healthy Eating Before, During, and After Pregnancy – em português, Espere o melhor: seu guia para uma alimentação saudável antes, durante e depois da gravidez.

-Publicidade-

Por que acontece a aversão alimentar durante a gravidez?

Embora a aversão à comida possa atingir qualquer futura mãe, um pequeno estudo de 2015 publicado na revista Physiology & Behavior sugere que mulheres carregando bebês do sexo masculino têm maior probabilidade de sentir repulsa por alimentos específicos. A teoria é que os embriões masculinos são mais vulneráveis ​​do que os femininos, então sentir-se mal com alimentos potencialmente perigosos é uma forma de proteger esses fetos em maior risco.

“Sempre se falou sobre a ocorrência de aversões alimentares pré-natais para proteger a mãe e o bebê de doenças transmitidas por alimentos e substâncias tóxicas, mas não há realmente nenhuma base científica definitiva para isso”, diz o Dr. Gaither. E, realmente, a teoria realmente não se sustenta, especialmente quando você repara que algumas das aversões alimentares mais comuns são carne, frango e peixes. “Além disso, se o seu corpo fosse naturalmente avesso aos perigos conhecidos para o bebê, todos nós sentiríamos aversão ao álcool, o que não acontece”, diz Ward.

Os enjoos geralmente acontecem no primeiro trimestre da gestação (Foto: Shutterstock)

Mas, se provavelmente não é o gênero do bebê nem o dano potencial ao filho, o que impede as grávidas de devorarem suas antigas comidas favoritas? “Provavelmente é o cheiro”, responde o Dr. Gaither. Mulheres que têm um olfato excelente antes da gravidez podem ser mais propensas a aversões alimentares. “Os picos hormonais normais que você experimenta durante a gravidez podem intensificar seu olfato, o que influencia fortemente a preferência alimentar – e o desgosto”, diz Ward. “O odor parece ativar todas as sensações de náusea e talvez vômito”, concluiu.

Além dos cheiros, os alimentos mais difíceis de digerir, como carnes e frituras e/ou alimentos ricos em gordura, também podem ser repulsivos. As aversões alimentares mais comuns são frango e carne vermelha, que liderou pesquisa do aplicativo de saúde e fitness ‘Lifesum‘ como a causa mais provável de enjoo no primeiro trimestre. Peixe e ovos vieram na sequência, seguidos por alimentos fritos e alimentos ricos em amido, como pipoca ou arroz branco.

Enxoval do bebê

Está preparando o enxoval ou a lista para o seu chá de bebê? Olha só essa novidade: você pode criar sua lista personalizada com produtos na Amazon, que pode ser compartilhada com amigos e familiares em várias plataformas. Além disso, você também pode ganhar 10% de desconto na compra na maioria dos itens! Saiba mais sobre a ferramenta e veja produtos para o enxoval do bebê CLICANDO AQUI. Para montar a sua lista, acesse AQUI!

Você deveria se preocupar?

“A maioria das aversões é mais interessante do que séria e, na maioria das vezes, não causa nenhum dano”, diz Elizabeth. “Uma dieta saudável é aquela que atende às suas necessidades nutricionais e emocionais, bem como às suas preferências pessoais. Portanto, não se preocupe em não gostar de café ou frango agora, apenas procure outros alimentos saudáveis ​​para substituí-los”, pontuou a autora.

Mas se você está preocupado, converse com seu médico, sugere o Dr. Gaither. “Se o seu médico achar que suas aversões o estão impedindo de ingerir certos nutrientes, ele o encaminhará a um nutricionista, onde suplementos ou outras recomendações serão fornecidas”.

Não se preocupe! (Foto: Getty Images)

Como lidar com as aversões?

  1. Continue tomando suas vitaminas: Se o seu pré-natal também o está deixando enjoada em relação às vitaminas, experimente opções como líquido ou um mastigável.
  2. Opte por vegetais de sabor suave: Purê de batata doce ou branca, feijão no vapor, purê de legumes cozidos e evite vegetais com cheiro mais forte, como brócolis e couve-flor.
  3. Opte por pratos frios: Desfrute de um sanduíche ou uma salada de macarrão no jantar em vez de um prato quente. Alimentos quentes são mais aromáticos e podem causar mais náuseas e aversão.
  4. Traga o feijão para o prato: Se a carne te faz engasgar, recorra aos ovos, feijão, nozes, manteiga de amendoim, queijo com baixo teor de gordura, iogurte grego e alimentos à base de soja como o tofu para sua proteína.
Beber água ao longo do dia ajuda a evitar a desidratação e prevenir os enjoos (Foto: Getty Images)

-Publicidade-