Bebê em formação salva vida da mãe após ela quebrar pescoço durante a gravidez

Danielle Wright foi para o hospital depois de sentir muita dor, ela foi diagnosticada com câncer de mama e quando descobriu a doença, ela já tinha se espalhado para o cérebro, o fígado, o pescoço, a coluna e a pelve

Resumo da Notícia

  • Mãe é diagnosticada com câncer de mama
  • Bebê em período gestacional salvou a vida da mãe
  • Ela passou 12 semanas no hospital

Danielle Wright foi diagnosticada com câncer de mama, mas quando foi fazer os exames, ela descobriu que a doença havia se espalhado para outras partes do corpo, sendo elas: cérebro, fígado, pescoço, pelve e coluna.

-Publicidade-
Danielle Wright antes da cirurgia (Foto: Reprodução/ Mirror)

Quando ela estava grávida de seu primeiro filho, Joseph, ela sentia muitas dores na pelve e pensou que a dor que estava sentindo na segunda gravidez era igual à da primeira. Mas, ao entrar na 20ª semana, a mulher de 39 anos soube que havia algo de errado, quando caiu e quebrou o pescoço.

Ela contou ao Liverpool Echo que: “Um dia, eu estava até a cozinha e ouvi um barulh0 alto de algo se quebrando. Eu consegui quebrar meu pescoço e mal conseguia me mover. Eu sabia que algo estava errado.”

-Publicidade-

“Meu companheiro James, meu filho Joseph e eu estávamos indo passar o feriado de Ano Novo com a minha família, mas eu estava com uma dor de cabeça muito forte e pedi para passarmos no hospital no caminho.”, ela continuou. “Eu sabia que tinha algo e por estar na 20ª semana de gravidez, estava determinada a saber o que estava acontecendo.”, ela finalizou.

Depois que os exames foram feitos, ela recebeu a notícia de que estava com câncer e que ele já havia se espalhado para o corpo todo, os médicos disseram que ela precisaria fazer um tratamento urgente para sobreviver, incluindo uma cirurgia no cérebro e radioterapia. Eles também disseram que não podiam adiar o tratamento.

Danielle em casa ao lado filho durante a recuperação (Foto: Reprodução/ Mirror)

Infelizmente, o bebê não sobreviveu. Porém, ela declarou: “Nosso bebê foi uma benção. Estar grávida me forçou a ir atrás de respostas para a dor que estava sentindo, eu sabia que tinha algo errado.” “Se não fosse pelo bebê, eu teria ido no feriado e tentaria essa situação adiante. O bebê salvou minha vida e estar grávida foi minha salvação divina.”

Danielle ao lado do filho e do marido, depois de estar recuperada (Foto: Reprodução/ Mirror)

O professor Carlo Palmieri, médico oncologista do Centro de Câncer de Clatterbridge Fundação da Confiança NHS (The Clatterbridge Cancer Centre NHS Foundation Trust) declarou: “Quando a Danielle nos procurou, nós nos deparamos uma situação séria e grave.”

Ele finalizou: “Entretanto, foi graças ao suporte de outros hospitais de confiança, o time de médicos do Centro de Câncer de Clatterbridge e a determinação de Danielle, é claro, que ela está em casa, caminhando por aí e vivendo plenamente”.

-Publicidade-