Como superar o medo do parto normal e realizar o sonho da maternidade?

Criou-se uma cultura que faz com que muitas mulheres temam esse método, mas seu corpo está preparado para isso

O acompanhamento de um médico é fundamental (Foto: Getty Images)

A hora do parto é um momento muito aguardado e temido pelas mulheres. O receio de não conseguir fazer força suficiente, da dor ser insuportável, de ter alguma complicação com o bebê surgem na cabeça da grávida quase que junto com a notícia e acompanha durante os meses seguintes. É comum, mas o corpo feminino está preparado para o parto normal (sem complicações) e a importância está em reconhecer os sinais e, sempre, fazer acompanhamento com um profissional.

-Publicidade-

“Muitas pacientes têm medo do parto, pois o entendem como um momento arriscado. Ouvir histórias traumáticas sobre partos, se tornou parte da cultura e dos sistemas familiares, passando de geração para geração, levando muitas mulheres a acreditarem que não são capazes de dar à luz”, opina Dr. Alberto Guimarães: ginecologista, obstetra e precursor do Parto sem Medo.

Essa ideia faz com que mulheres desistam do sonho da gravidez ou até deixem de ter um segundo filho, por traumas na primeira tentativa. Nos Estados Unidos, uma a cada cinco mulheres decide não ter mais filhos, por conta do medo do parto. E esse sentimento é antigo, de acordo com o especialista, vindo desde a adolescência: “Infelizmente, eles são mascarados por tratamentos e diagnósticos convencionais, como cesárea a pedido, cesárea anterior e outras indicações questionáveis. 

-Publicidade-
Conheça as fases do trabalho de parto (Foto: iStock)

Como funciona o trabalho de parto? 

Independentemente do seu caso, é fundamental conversar com um médico de confiança e se informar sobre o momento do parto e todas as possibilidades. Tendo um acompanhamento adequado, tudo fica mais tranquilo e preparado para (imprevistos e) o melhor tratamento desde o início até o nascimento. Confira todas as fases de trabalho de parto:

  • Latente: essa primeira fase é bem lenta, podendo durar horas para aparecer os primeiros centímetros de dilatação, as contrações são mais ritmadas, com uma certa frequência e pouco dolorosas.
  • Ativa: é um período de dilatação mais rápida (cerca de 1 centímetro por hora, sendo iniciada com 3-5 centímetros de dilatação)
  • Período expulsivo: esse é o período de dilatação total, com 10 centímetros, o colo do útero dilatado e o nascimento. 

 

Qual é a hora de ir para o médico? 

Não se confunda, o trabalho de parto é formado por essas três fases. O pródromo, pré-parto ou erroneamente chamado de falso trabalho de parto não faz parte disso. Ele é caracterizado por um “vai, não vai”, ou seja, aquele tempo em que as contrações parecem mais ritmadas, mas param. Vale a pena esperar um pouco antes de correr para o hospital. Você só deve ir ao hospital na fase ativa do trabalho de parto, isso significa que as contrações são frequentes e intensas (o esperado são três contrações dentro de 10 minutos).    

O parto normal facilita a recuperação do bebê (Foto: iStock)

Durante todo esse período, é importante manter o médico informado e a par de todos os sintomas, colaborando para a tomada de decisões. Como o próprio parto diz, ele é normal e natural da mulher. Seguindo essas recomendações, tudo colabora para que seu filho nasça saudável e a sua recuperação seja mais rápida e prazerosa.

Leia também:

Parto normal: tudo que você precisa saber sobre a hora do nascimento do seu bebê

Parto normal: dói muito? Como é a recuperação? Quais as vantagens?

Estudo mostra como o parto normal pode aumentar a imunidade do seu bebê

-Publicidade-