Companhia aérea obriga mulher a fazer teste de gravidez para poder embarcar: “Foi muito humilhante”

A japonesa estava indo para Saipan, uma ilha no Pacífico que é território americano

Ela já havia preenchido um questionário dizendo que não estava grávida (Foto: Getty Images)

Uma japonesa de 25 anos passou por uma situação bastante constrangedora ao realizar uma viagem. Midori Nishida estava indo com destino a Saipan, uma ilha no Pacífico quando foi escoltada por guardas e obrigada a realizar um teste de gravidez.

-Publicidade-

A companhia aérea de Hong Kong Express forçou a mulher a fazer o procedimento como condição para poder embarcar. Ela foi levada até o banheiro, onde pediram que urinasse. O procedimento foi justificado por Saipan ser um território dos Estados Unidos e muito procurado por mães que querem que os filhos tenham nacionalidade americana.

“Foi muito humilhante e frustrante”, desabafou ao Wall Street Journal. Principalmente, porque ela já havia preenchido um questionário, em que disse que não estava grávida. Mesmo assim, precisou passar pela avaliação “apta a voar”, que foi feita para mulheres com forma corporal parecidas com a de uma grávida.

-Publicidade-

Só após o resultado negativo, Nishida teve a permissão para embarcar para a ilha em que nasceu e onde a família morou por cerca de 20 anos. Com a repercussão do caso, a companhia falou à AFP: “Suspendemos imediatamente a prática, enquanto ela é revista. Gostaríamos de nos desculpar pela angústia causada”.

A empresa também justificou que o procedimento estava sendo feito desde fevereiro de 2019 como forma de segurança para garantir que as leis de migração americanas fossem cumpridas.

Leia também:

-Publicidade-