“Esperei a pessoa certa para fazer sexo só após o casamento e engravidei virgem”

Kimberley Godsall sempre quis ser mãe, mas queria esperar até encontrar a pessoa certa para fazer sexo. Quando completou 30 anos, decidiu não depender mais de ninguém e realizou o sonho de ter uma filha sozinha

Resumo da Notícia

  • Kimberley Godsall sempre quis ser mãe, mas queria esperar até encontrar a pessoa certa para fazer sexo
  • Quando chegou aos 30 anos, decidiu que não esperaria para ter filhos e realizou uma inseminação artificial
  • Após algumas tentativas e uma fertilização in vitro, ela finalmente conseguiu realizar o sonho de ser mãe

Kimberley Godsall sempre quis ser mãe, mas não fazia questão de ter um parceiro – mesmo que apenas sexual – para realizar isso. Com 38 anos, hoje ela é mãe de Scarlett, uma menina de 2 anos e nunca teve nenhum tipo de relação com um homem.

-Publicidade-

“Uma vez estava num evento para mães e o apresentador disse: ‘Bem, este é um lugar onde você pode ter certeza de que todas as mulheres na sala fizeram sexo’. Mesmo em uma sala cheia de mulheres com bebês, você não pode assumir isso. Há exceções para todas as regras e, naquela ocasião, a exceção era eu”, contou ao jornal Daily Mail.

Como Kimberley não encontrou uma pessoa com quem tivesse vontade de se casar, ela decidiu recorrer a uma fertilização in vitro para realizar o sonho de ser mãe. “Não aguentaria passar a vida inteira sem conseguir ter um filho, mas eu só quero fazer sexo com a pessoa com quem vou me casar. Eu sei que é uma visão romântica da vida. Senti que tinha fracassado quando cheguei aos 20 e poucos anos e ainda não era casada. Foi então que tive uma epifania: eu não preciso de sexo ou de homem nenhum para ter uma criança, posso conseguir isso sem nenhum dos dois”.

"Esperei a pessoa certa para fazer sexo só após o casamento e engravidei virgem"
“Esperei a pessoa certa para fazer sexo só após o casamento e engravidei virgem” (Foto: Reprodução Daily Mail)

Quando tinha 33 anos, ela procurou um especialista em fertilidade, selecionou um doador de espermas na Dinamarca e se preparou para realizar duas rodadas de inseminação artificial. Com isso, gastou cerca de R$10 mil por dois frascos contendo o esperma do doador.

A primeira rodada não foi exatamente como ela esperava, já que quis realizar o procedimento sem anestesias. “Acabou sendo uma das experiências mais traumáticas da minha vida. Eles usaram um espéculo para abrir a vagina, foi muito doloroso para mim, antes mesmo de eles inserirem o catéter para depositar os espermatozoides no útero. Tanto psicológica quanto fisicamente, eu não estava acostumada a nenhuma atividade lá embaixo”.

Já a segunda rodada foi feita sob sedação, mas também não deu certo. Nesse momento, os médicos a aconselharam a realizar uma fertilização in vitro. Cerca de R$110 mil reais depois e vários tratamentos, ela finalmente conseguiu o positivo que tanto queria. “Não foi do jeito romântico que eu imaginava. Na verdade, o que aconteceu foi um homem que eu mal conhecia com a cabeça entre as minhas pernas, inserindo um embrião formado com o esperma de um estranho, enquanto eu estava sob sedação. Mas funcionou e, nove meses depois, minha filha linda chegou”.