Gravidez

Estudo prova qual sintoma na gravidez aumenta chances do bebê desenvolver autismo

A pesquisa foi feita pela Kaiser Permanente Southern California, nos Estados Unidos

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Novo estudo descobriu um sintoma na gravidez que pode indicar uma chance do bebê desenvolver autismo (Foto: Getty Images)

Um novo estudo descobriu um sintoma na gravidez que pode indicar uma grande chance do bebê desenvolver autismo. O estudo, feito pelo Kaiser Permanente Southern California, nos Estados Unidos, descobriu que mulheres que são diagnosticadas com hiperêmese gravídica tem 50% de chance de ter um filho com autismo.

A hiperêmese gravídica é uma complicação que causa vários episódios intensos de vômitos, enjoos ou tonturas que provocam desidratação, perda de peso e carência nutricional. Para chegar nessa conclusão, a pesquisa analisou 500 mil crianças nascidas entre os anos de 1991 e 2014.

O estudo também mostrou que existe 53% de chances da criança desenvolver autismo quando a mãe for diagnosticada com hiperêmese gravídica durante o primeiro e o segundo trimestre de gestação. Já no terceiro trimestre, não há aumento de chances.

Os responsáveis pelo estudo afirmaram que essa descoberta pode ser essencial no diagnóstico precoce de autismo nas crianças. No site do instituto, o Dr. Garios Getahun, autor do estudo, afirma: “Saber dessa associação pode criar uma oportunidade para um diagnóstico mais rápido e um tratamento mais eficaz”.

Porém, o estudo conclui que existe uma possibilidade maior de que a hiperêmese gravídica não deixe que a mulher se alimente da maneira correta durante a gravidez e isso pode elevar as chances do bebê desenvolver autismo.

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também:

Estudo mostra que dormir de costas pode afetar gravidez

Mãe faz relato sincero sobre hiperêmese gravídica: “Um dos momentos mais traumatizantes da minha vida”

Estudo prova que pais dirigem cerca de 1.500 quilômetros por ano para fazer os filhos dormirem