“Foi assustador”: mãe descobre gravidez no 8º mês após dor comum

Eliana Santana contou que ficou chocada com a notícia da nova gravidez, pois não sentiu nenhum sintoma durante toda a gestação. A mulher só descobriu no oitavo mês e por isso conseguiu doação de diversas pessoas, já que não estava preparada

Resumo da Notícia

  • Eliana Santana sentiu dores nas costas e descobriu que estava grávida no oitavo mês de gestação
  • A mulher foi ao médico com dores nas costas e descobriu a notícia pelo médico
  • A mãe de 4 filhos conseguiu doações da família e dos amigos, pois foi pega de surpresa e não estava preparada

Imagina sentir algumas dores nas costas e depois descobrir que está grávida no oitavo mês da gestação? Pois é, Eliana Santana, 39, descobriu deste jeito que estava esperando o quinto filho, um menino. Ela foi ao médico em Itanhaém (SP) com dor nas costas e descobriu a gravidez.

-Publicidade-

Mãe de quatro filhos, a mulher afirmou em entrevista ao G1 que não cogitou a possibilidade por não ter apresentado sintomas de gravidez. “Como eu estava com muita dor do lado esquerdo [nas costas], fui ao clínico geral. [Na unidade de saúde] eles pediram um raio-x e, pelo exame, descobriram que eu estava grávida. Me encaminharam para a maternidade para ver se estava tudo bem, até porque grávida não pode fazer raio-x”, explicou Eliane ao G1.

A mulher descobriu que estava grávida no oitavo mês de gestação, após sentir dores nas costas
A mulher descobriu que estava grávida no oitavo mês de gestação, após sentir dores nas costas (Foto: Getty Images)

De acordo com a mulher, a equipe médica disse que o bebê está na parte de trás, perto da costela. “Por isso não tive barriga e sinto dor nas costas”. Eliane contou ainda que nas outras gestações teve sintomas comuns. “Não tive barriga nenhuma. Tudo diferente das outras gravidezes. Minha filha mais velha tem 24 anos”, contou ao G1.

Apesar da chegada em breve do filho inesperado, Eliane afirmou que está recebendo apoio da família e que já conseguiu algumas doações de roupinhas e fraldas. “Foi bem difícil quando eu soube, assustador. Depois de três dias eu contei para minha família, porque eu estava digerindo ainda. A reação de todos, graças a Deus, foi a melhor possível. Também ficaram assustados, porém ninguém me criticou”, afirmou.

“De imediato já falaram que iam me ajudar. Eu não tinha nada, daí minha irmã postou nas redes sociais e ganhei umas roupinhas. Não tem muita coisa, mas já ganhei roupa e fralda. Minha família esta me ajudando muito”, disse Eliane.