Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso rebatem críticas sobre primeira gravidez: “Não é uma recompensa”

A apresentadora abriu o coração e respondeu sobre diversas críticas que vem recebendo desde que anunciou a gestação

Resumo da Notícia

  • Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso foram criticados por adotarem Titi e Bless
  • A atriz rebateu comentários maldosos de que foi "recompensada com a gravidez"
  • Ela está no 4º mês da primeira gestação
  • A apresentadora ouviu de outros homens que era estéril
Ela está no 4º mês de gestação (Foto: reprodução / Instagram @gio_ewbank)

Depois de fazerem um ensaio para a revista GQ de fevereiro, Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso falaram sobre a primeira gravidez e rebateram algumas críticas que receberam desde que contaram a notícia. Durante a entrevista, eles ainda refletiram sobre o privilégio racial do menino que chegará daqui cinco meses.

-Publicidade-

“Esse filho já nasce privilegiado. As conversas que a gente vai ter com ele não vão ser as mesmas que vamos ter com nossos filhos negros. Isso é uma coisa que me deixa muito mal. Fico preocupada com eles. Por que com um filho que é branco a gente não vai precisar ter conversas tão duras como as que a gente vai ter com nossos filhos negros? Por quê?”, desabafou Giovanna, que está no 4º mês da gravidez.

Ela ainda ficou emocionada quando ouviu os comentários maldosos de que o filho biológico seria uma “recompensa” por ter adotado Titi e Bless. “Que recompensa? Adotar não é uma caridade e as pessoas confundem muito. E isso fere, machuca”, lamentou Giovanna.

-Publicidade-
Giovanna Ewbank lamentou diversos comentários maldosos sobre a gravidez (Foto: reprodução/ Instagram @gio_ewbank)

Quando tomou a decisão de adotar as crianças, a atriz disse ainda que ouviu comentários de que deveria gerar um filho. “‘Por que adoção?’, ‘Como uma mulher vem ao mundo e não quer gerar um ser em seu ventre?’, ‘E os filhos de vocês, vem quando?’, ‘Nossa, ela é tão linda. Ela tem mãe?’, ‘Como seus filhos são fofos, Gio. Eles têm família?’. Essas são algumas das perguntas que uma mãe que tem um filho não biológico escuta todos os dias”.

Antes de engravidar de Bruno Gagliasso, a atriz contou que ouviu vários comentários machistas sobre ser estéril: “Eu comecei a ser questionada do por quê eu optei pela adoção – sim, porque foi uma opção, da qual eu me orgulho muito. Mas como toda escolha feminina, ela veio cheia de questões do tipo: ‘Tadinha! Mas ela já é casada há tanto tempo e não tem filho?’. E junto com isso eu li e ouvi que era estéril. Não, gente. Eu não sou estéril e nem o meu marido. Mas obviamente a dúvida sobre esterilidade veio sobre mim, que sou mulher”, concluiu.

-Publicidade-