Grávidas que contraíram a Covid-19 podem transmitir anticorpos aos bebês, diz estudo

Segundo os pesquisadores, isso indica que elas podem proteger os bebês contra a doença, mas não infectá-los

Resumo da Notícia

  • Após a contaminação da doença durante a gestação os bebês podem nascer imunes ao novo coronavírus
  • A hipótese é de que os anticorpos tenham sido transmitidos via placenta
  • Segundo os pesquisadores, isso indica que elas podem proteger os bebês contra a doença, mas não infectá-los

Segundo estudo publicado na revista médica JAMA Pediatrics, na última sexta-feira (29), grávidas que contraíram a Covid-19 podem transmitir anticorpos para os bebês, que já nascem “imunes” ao vírus.

-Publicidade-

Cientistas dos Estados Unidos acompanharam 83 gestantes que testaram positivo para o novo coronavírus antes de dar à luz. Depois de fazer os testes de sorologia, eles perceberam que 72 delas transmitiram o chamado IgG (anticorpo de longa duração) para os filhos.

A hipótese é de que os anticorpos tenham sido transmitidos via placenta. Esse padrão foi observado tanto para mães assintomáticas, quanto nas que tiveram manifestações leves, moderadas e graves da doença. Quanto mais tempo havia se passado entre a contaminação e o dia do parto, mais anticorpos eram detectados nos bebês.

Elas transmitem anti-corpos contra o vírus aos bebês (Foto: Getty Images)

Outro tipo de anticorpo também analisado foi o IgM, que aparece alguns dias depois da contaminação, quando o corpo começa a se defender do vírus. Ainda que as participantes da pesquisa tenham repassado o IgM aos filhos, a transmissão foi menor.

Isso indica, segundo os pesquisadores, que por mais que as mãe transmitam anticorpos capazes de proteger as crianças contra a doença, elas dificilmente  vão infectar o bebê com co vírus, caso contraído na gestação. “Nossos resultados se alinham com as evidências atuais que sugerem que, embora a transmissão neonatal e placentária de Sars-CoV-2 possa ocorrer, tais eventos não são comuns”, escreveram.