Luiza Helena Trajano, dona da rede Magazine Luiza, afirma que o home office é um facilitador para as mulheres que acabaram de ter filhos

A empresária participou de um Webinar realizado pela ANER/ANJ e respondeu sobre as dificuldades que as mulheres geralmente têm ao retornar da licença-maternidade

Resumo da Notícia

  • Luiza Helena Trajano é acionista majoritária da rede Magazine Luiza
  • Ela participou de um Webinar realizado pela ANER/ANJ essa semana e às perguntas dos jornalistas
  • A empresária dá sua opinião sobre o receio e medo do retorno das mulheres após o fim da licença-maternidade

A Presidente do Conselho da rede Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, participou de um Webinar com jornalistas de diversos lugares do país para falar sobre as saídas que a empresa conseguiu para atender com excelência os clientes nesse período de pandemia. Ao longo do bate-papo ela defendeu os direitos das mulheres e o apoio que fez com o projeto Grupo Mulheres do Brasil. Dentro do tema ela nos respondeu qual a visão dela e da empresa em relação ao retorno das funcionárias com licença-maternidade.

-Publicidade-

Mãe de três filhos, Ana Luiza, Frederico e Luciana, Luiza lembra que nunca deixou de trabalhar por ser mãe. Segundo ela, um dos maiores incentivos hoje em dia é a prática do home office, que se intensificou após o início da pandemia devido ao isolamento social. “A gente incentiva ter filhos, até porque eu sou mulher e tive 3 trabalhando. O que a gente sente agora é que com o home office ficou mais fácil para elas não ficarem tão distantes da empresa”, conta a empresária.

Segundo Luiza, um dos maiores medos que ela identifica nas mulheres que retornam para o ambiente profissional após o nascimento do filho é poder estar desatualizada do que aconteceu na equipe e na empresa durante o período de afastamento. “A empresa dá até 6 meses de licença-maternidade, mas eu vi que tem mulher que tem medo e volta com 4 meses. Eu tenho a impressão de que com o home office essa mulher consegue entrar em tudo, no rito de comunhão, nos resultados, em tudo mesmo depois que retorna”, explica.

Luiza Helena Trajano é empresária, dona da rede Magazine Luiza e reforça sempre a importância da família. Na foto, em viagem com os netos (Foto: Reprodução / Instagram)

Ela afirma que naturalmente pode haver um susto de cara, mas que hoje está mais fácil, mesmo com a velocidade das mudanças enormes. “Eu fico muito feliz nesse aspecto”, reforça Luiza. Sobre esse tema, ela ainda relata a experiência que tem vivido com uma de suas funcionárias na rede Magazine Luiza. “Temos uma menina que é a única diretora de tecnologia, se não me engano, do Brasil. É uma de nossa principais áreas e ela vai ser mãe. Então, eu tive que trabalhar muito para dizer: ‘Que bom, que ótimo!’”, conta. Por já ter vivido esse momento, ela tenta mostrar que existe caminhos, sim, para equilibrar a vida profissional e a maternidade. “O que transparece quando falo com essa diretora é algo do tipo: ‘E agora, como vai ser a minha vida?’. Eu falo: ‘Gente, eu tive 3 filhos trabalhando, fazendo… Vamos lá, gente’. Não tem receita”, finaliza.

Licença-maternidade em tempos de quarentena

Uma tema que tem gerado bastante dúvida é se muda algo na licença-maternidade durante o período de isolamento. A resposta é não. Esse benefício tanto para as mulheres quanto para os homens  seguem sem alteração, sendo 120 dias e 5 dias, respectivamente, sem prejuízo do emprego e salário – a licença-maternidade pelo período de 180 dias obrigatórios no serviço público e opcional para empresas do setor privado inscritas no Programa Empresa Cidadã também permanecem inalteradas. O STF decidiu recentemente que a licença-maternidade começará a contar a partir da alta da internação da mãe ou bebê.