Mãe perde os dentes durante gravidez por condição rara que causa vômitos incontroláveis

Louise Cooper sofreu com hiperêmese gravídica, uma condição que causa vômitos incontroláveis. Isso enfraqueceu seus dentes, que caíram ao longo do terceiro trimestre de gestação. Após o nascimento do bebê, ela realizou uma cirurgia para colocar implantes

Resumo da Notícia

  • Muitas mulheres sofrem com enjoos durante a gestação
  • Louise Cooper, do Reino Unido, teve uma condição séria chamada hiperêmese gravídica
  • Por causa dos vômitos incontroláveis, seus dentes começaram a enfraquecer e cair
  • Apesar do susto, ela melhorou e teve um segundo filho. Hoje, todos estão bem

Um dos sintomas de gravidez mais comuns e conhecidos é o enjoo, principalmente durante o período da manhã. Enquanto algumas mulheres pouco sentem as náuseas, outras sofrem com o problema – foi o caso de Louise Cooper. Ela passou muito mal ao longo da gestação e os vômitos foram tantos que ela acabou perdendo seus dentes, que ficaram desgastados.

-Publicidade-

Sua primeira gravidez aconteceu aos 19 anos, enquanto ela trabalhava como babá em um resort de esqui na França. Ela descobriu a gestação com 3 semanas. Em entrevista ao portal “The Metro”, Louise contou que foi diagnosticada com Hiperêmese Gravídica, uma condição rara, que afeta cerca de 1% das gestantes e que causa vômitos intensos e incontroláveis.

Uma semana após descobrir a gestação, ela começou a vomitar muito e a condição piorou tanto que Louise precisou voltar ao Reino Unido. Em seguida, ela foi hospitalizada por por desidratação e diagnosticada com hiperêmese gravídica.

Ao longo da gestação, a condição de Louise se agravou e ela precisou ficar de cama. “Eu não conseguia comer, beber, andar, ficar de pé, me mover ou mesmo levantar a cabeça sem vomitar”, desabafou. Para ela, toda a situação foi mentalmente desgastante – ela chegou a cogitar interromper a gestação porque não conseguia mais lidar com os problemas de saúde.

Louise sofreu com Hiperêmese gravídica (Foto: Shutterstock)

“O único motivo pelo qual não segui adiante foi porque um médico consultor me iniciou um tratamento com esteróides, que continuei durante a maior parte da minha gravidez e depois foi diminuindo gradualmente”, contou. Juntamente desses medicamentos, ela tomava outros três remédios para cortar enjoo. Em 37 semanas de gravidez, Louise conta que foi ao médico pelo menos 25 vezes para cuidar do problema.

Foi durante a 16ª semana também que o primeiro dente de Louise caiu, e ao longo do terceiro trimestre ela perdia pelo menos um dente por semana. O dentista da mãe de primeira viagem aconselhou que ela fizesse uma cirurgia para resolver o problema após o nascimento do bebê. Cinco meses depois do parto, ela realizou um procedimento para retirar os dentes que restaram em sua boca e logo em seguida já recebeu as próteses.

Algum tempo depois do nascimento do primeiro filho, Louise e o marido decidiram ter um segundo bebê. Ela passou novamente por complicações causadas pela hiperêmese gravídica, além de uma infecção de bexiga, mas graças aos medicamentos ela conseguiu lidar com o problema e deu à luz seu segundo filho, que nasceu saudável.

Uma coisa que fez toda a diferença foi o apoio que Louise recebeu de outras mulheres que já haviam sofrido com hiperêmese gravídica durante a gestação. Quem a ajudou a encontrar essas pessoas foi a mãe de Louise, que entrou em contato com o Pregnancy Sickness Support, uma instituição de caridade. Além disso, durante a segunda gestação ela pôde contar com maior apoio de família, amigos e do próprio hospital.