Mãe que deu à luz em coma por conta da covid-19 faz apelo às grávidas

Lorren Reeves estava em coma por complicações do vírus e precisou fazer uma cesária de emergência

Resumo da Notícia

  • Mãe fica em coma por complicações de Covid-19 e dà a luz à bebê prematuro
  • Darcey nasceu com 800 gramas e apenas 26 semanas
  • Loreen ressalta a importância das vacinas contra o Coronavirus

Loreen Reeves precisou fazer uma cesária de emergência com apenas 26 semanas de gestação, ela estava internada com Covid-19 desde Julho porém seu quadro de saúde piorou e ela entrou em coma.

-Publicidade-

Os médicos estavam preocupados com a vida da mãe Loreen e do bebê Darcey, o pai Josh contou que os médicos estavam focados em manter a mãe viva. O casal contraiu Covid-19 juntos em Julho, mas ele melhorou e ela piorou.

Darcey nasceu com 800 gramas e apenas 26 semanas
Darcey nasceu com 800 gramas e apenas 26 semanas (Foto: Reprodução/Mirror)

Darcey nasceu com apenas 800 gramas no Hospital Derriford, em Plymouth na Inglaterra, e conseguia respirar de forma independente porém depois de algumas horas o pulmão direito colapsou. A mãe e a filha sobreviveram mas ainda estão hospitalizadas.

Loreen fez uma apelo a todas as gestantes dizendo o quão importante é tomar a vacina contra a Covid-19, ela se recusou a tomar no início pois após ter passado por 2 abortos espontâneos em um período de 18 meses, ela tinha medo de acabar perdendo o bebê novamente por conta da vacina.

“Acho 100% que isso não teria acontecido se eu tivesse tomado a vacina. Depois dos dois abortos, eu simplesmente não queria arriscar de forma alguma. Mas, depois de tudo o que passei, indico todas as mulheres grávidas a tomar”, disse Loreen em entrevista ao Mirror.

Loreen entrou em coma após 10 dias internada e precisou fazer uma cesárea de emergência
Loreen entrou em coma após 10 dias internada e precisou fazer uma cesárea de emergência (Foto: Reprodução/Mirror)

O marido Josh também não havia tomado a vacina, mas alegou que se pudessem voltar no tempo teriam tomado com certeza. Segundo Mirror, do número de gestantes com covid internadas em hospitais, 99% não receberam a vacina, e uma em cada 10 acaba na UTI, afirmou uma pesquisa da Universidade de Oxford.

A família chegou a se reunir em volta de Darcy torcendo para que tudo ficasse bem e ela sobrevivesse, Loreen passou por algumas complicações como convulsões, e foi diagnosticada com epilepsia e Darcy teve sangramentos cerebrais, as duas entãos estabilizadas e a mãe finaliza dizendo: “Às vezes, eu penso: ‘Nós desejamos muito um bebê e agora todas essas coisas horríveis aconteceram”.

No Brasil gestantes estão liberadas para tomar a vacina do Butantan (Coronavac) e da Pfizer, a da FioCruz/Astrazeneca ainda está suspensa.