Mãe sofre aborto espontâneo e é orientada a voltar para a casa como se nada tivesse acontecido

Amy Falconer já sabia que tinha algo errado com o bebê antes mesmo dos médicos descobrirem mas não foi ouvida

Resumo da Notícia

  • Mãe tem o quarto aborto consecutivo e é orientada a voltar para casa como se nada tivesse acontecido
  • Amy já não sentia mais os sintomas da gravidez depois de 9 semanas de gestação
  • Ela faz um apelo ao sistema de saúde a darem mais amparo às mães que perderam o bebê

Amy Falconer, 38, sofreu um aborto espontâneo depois de 9 semanas de gestação, e os médicos disseram para ela “deixar de ser boba” e voltar para casa. Sem suporte nenhum, após o 4 aborto espontâneo da mãe ela fez um apelo para que os hospitais ofereçam mais apoio para quem perdeu um bebê.

-Publicidade-

O diretor da revista ‘The Sun’ contou ao Edinburgh Live: “Ninguém liga para verificar como você está, ninguém marca nenhuma consulta para ver se você está aguentando ou para oferecer exames para descobrir o que deu errado. Não há nenhuma outra parte do sistema de saúde onde isso aconteça.”.

Quando Amy engravidou em dezembro de 2018, as coisas começaram a piorar com nove semanas de gestação. Ela “parou de sentir as mudanças” que vêm com o início da gravidez. “Me disseram que tudo ficaria bem, não se preocupe, basicamente me senti como se eu estivesse apenas sendo boba”, disse ela. “Mas, no fundo, eu sabia que algo estava errado.”, concluiu Amy.

Dia das Crianças

O Dia das Crianças está chegando e se você ainda não encontrou o presente perfeito para o seu filho, a Pais&Filhos fez uma seleção especial de produtos no site da Amazon para você se inspirar, tem opções para todos os gostos e bolsos também. Dá uma olhada AQUI e arrase na escolha!

Amy com o filho Rocco de 2 meses
Amy com o filho Rocco de 2 meses (Foto: Reprodução/The Sun)

Duas semanas depois, Amy fez uma varredura porque teve um sangramento leve, conhecido como manchas. O filho ainda não nascido não tinha mais batimento cardíaco, o que a mãe diz que sabia o tempo todo.

Acredita-se que seja causada por uma gravidez ectópica, quando um óvulo fertilizado se implanta na trompa de falópio, e não no útero, deixando-o sem espaço suficiente para crescer. Ela contou que ver as outras mãe indo e saindo com os bebês no colo foi uma dor muito grande, pois ela acabara de perder um filho.

Felizmente Amy e seu noivo, Fraser Rutherford, agora têm um filho chamado Rocco que nasceu em julho deste ano. Ela finaliza a entrevista fazendo um apelo aos hospitais e ao sistema de saúde em geral, para que dêem mais apoio às mães que perderam um bebê pois pode desencadear diversos problemas psicológicos