Mãe sofre com ataques de pânico durante parto: “Não consegui sentir nada pelo meu filho”

Anna Williamson sofria com ansiedade perinatal e precisou enfrentar 16 horas de trabalho de parto, hemorragias e alergias até finalmente dar à luz ao primogênito

Resumo da Notícia

  • A apresentadora de TV Anna Williamso passou por ataques de pânico e hemorragias durante o parto
  • Ela ainda luta contra os danos psicológicos que sofreu, mas ajuda outras mães na mesma situação
  • O parto durou 16 horas, nas quais Anna sofreu ataques de pânico, hemorragias, alergias e enfrentou o fórceps

A apresentadora de TV Anna Williamson achava que dar à a luz deveria ser um dos momentos mais incríveis da sua vida, mas na realidade ele foi uma experiência que a deixou traumatizada. A britânica passou por ataques de pânico e hemorragias durante o parto e hoje luta contra os danos psicológicos que sofreu.

-Publicidade-
Anna se sentiu traumatiza meses após dar a luz (Foto: Arquivo Pessoal)

A mãe contou ao Mirror que tudo começou meses antes do nascimento do filho, quando ela foi diagnosticada com ansiedade perinatal, condição onde a gestante fica incomumente preocupada com o bebê. O problema se juntou a outro: no início do trabalho de parto Anna foi avisada que seu feto estava com a cabeça contra a coluna da mãe. “Eu nunca realmente senti nem cólicas e agora toda a dor estava nas minhas costas. Como ninguém me disse que isso poderia acontecer, eu surtei completamente e tive ataques de pânico”, diz.

Depois de 16 horas de trabalho de parto, entre ataques e sangramentos, Anna tinha conseguido empurrar praticamente todo o bebê para a fora. Devido a posição que o filho estava, no entanto, era impossível ele sair de lá sem ajuda médica. Foi aí que avisaram a apresentadora que teriam que usar o fórceps. Após o inicio do procedimento, Anna teve uma reação a anestesia e não conseguia mais respirar ou engolir.

-Publicidade-
Apesar do trauma, o bebê nasceu saúdavel (Foto: Arquivo Pessoal)

“A equipe médica foi muito rápida em me ajudar, mas eu não estava muito consciente do nascimento do meu filho. Eu o ouvi chorar, o que me deixou satisfeita, mas sofri uma grande hemorragia, então não vi ou segurei meu filho por uma hora ou mais. Foi profundamente perturbador para mim e me esforcei para processar tudo o que tinha acontecido”, disse.

A reação de Anna após a experiência traumática do nascimento foi desconcertante para a nova mãe. Não foi a onda de amor e euforia que ela foi ensinada a esperar. “Na verdade, não senti nada, e isso foi o pior de tudo”, diz ela. “Eu queria sentir algo, qualquer coisa. Eu queria estar perdidamente apaixonada por meu bebê e não me importar com o que tinha acontecido com meu corpo, mas a verdade é que me senti traumatizado pela situação de quase morte que acabei de enfrentar. Eu não estava em condições de cuidar de um bebê”, desabafou.

Hoje, Anna ajuda outras mães nessa situação (Foto: Arquivo Pessoal)

O trauma do parto durou meses após o nascimento do filho e hoje a apresentadora atua em grupos para ajudar outras mães com experiências parecidas.“Eu fiz o melhor que pude nas primeiras 16 horas de trabalho de parto. Eu definitivamente deveria ter sido mais gentil comigo mesma!”, falou. Anna diz que é muito importante lembrar às pessoas que cada nascimento é único e diferente. “Nunca deixe a história do nascimento de outra pessoa afetar você e a sua”, finalizou.

-Publicidade-