Mulher que deu à luz pela primeira vez aos 50 anos ainda torce para ter gêmeos

Susan Rufrano-Waitzman declarou que, mesmo com as críticas alheias com relação a sua idade, ainda deseja aumentar a família depois de uma vida dedicada a carreira de cantora

Resumo da Notícia

  • Susan Rufrano-Waitzman decidiu que finalmente dedicaria sua vida à família - depois de passar mais de 40 anos como cantora e dançarina em um cruzeiro
  • Ela ainda conta que conseguiu ter o primeiro filho aos 51 anos
  • Não satisfeita, Susan planeja aumentar a família - e pretende engravidar de gêmeos, agora com 56 anos de idade
  • Susan chegou a viver um aborto antes da chegada do primeiro bebê

Susan Rufrano-Waitzman surpreendeu a web ao falar sobre o seu desejo de ser mãe pela segunda vez, aos 56 anos – dessa vez de gêmeos! Isso porque, depois de uma carreira de mais de 40 anos cantando e dançando em cruzeiros, ela decidiu dedicar a vida à maternidade – e deu à luz primeiro filho aos 51 anos!

-Publicidade-

“Penso no quanto de maturidade e conhecimento posso oferecer para minha filha, por causa da minha idade”, contou a mãe, em entrevista ao portal Kidspost. “Tive meu primeiro filho aos 51, e as pessoas dizem que sou muito velha. Mas não ligo! Estou rezando para ter gêmeos”, brincou ainda Susan.

A música aposentada declara que, antes de conhecer o marido Josh, realmente não pensava em construir uma família. “Quando nos conhecemos, soubemos de cara que queríamos ficar juntos”, declarou. Como o marido também vivia uma carreira no cruzeiro, o casal foi adiando o sonho até os 40 anos de Susan – quando ela largou de vez a luxuosa vida marítima. E, então, foi em 2012 que a dupla conseguiu engravidar pela primeira vez.

“Mal pude acreditar quando vi as duas linhas no teste de gravidez!”, relembrou Susan. Contudo, a alegria durou pouco – e a família sofreu um aborto espontâneo semanas depois. “Fiquei uns três ou quatro dias sentindo muita dor, e naquele momento não pensava que conseguiria arriscar viver essa experiência de novo para ter um filho”.

Mesmo assim, com auxílio médico, Susan e o marido não desistiram o sonho de formar a própria família: e começaram o tratamento de congelamento de óvulos. Após duas tentativas de insucesso, eles tiveram a primeira filha.

“Quando me contaram que, na terceira vez, o procedimento havia finalmente funcionado, eu não conseguia parar de gritar no telefone!”, brincou Susan. “Então, liguei para Josh para contar a novidade e fiquei dizendo, ‘Eu sabia que conseguiria, mesmo com o que falavam da minha idade'”.

Susan teve o primeiro filho aos 51 anos (Foto: Reprodução/ Kidspost)

Apesar de um parto cesárea traumático – em que Susan relata que viveu fortes crises de ansiedade – ela e o marido vivem muito felizes criando uma menina, que já está com 4 anos. “Fico me perguntando o quão preguiçosa eu seria se tivesse tido essa filha mais cedo – em comparação ao cuidado que tenho agora”, contou.

Agora, o casal retornou a técnica de congelamento de óvulos para a – se tudo der certo! – chegada de gêmeos. “Sempre quis ter gêmeos, então se tivesse na minha segunda tentativa, ficaria muito satisfeita. Além disso, sempre quis que Morgan tivesse irmãos“.

Susan conta que os comentários negativos não afetam a força de vontade sua e do marido – muito pelo contrário. “Sei deixasse que os comentários negativos me afetassem, nunca conseguiria fazer nada. Por isso, tento colocar a pressão da idade fora disso. Quero ser uma vencedora para mulheres que decidem virar mães aos 40 ou 50 anos – e ouvem que não podem porque já é tarde demais. Não desistam!”, ela ainda finalizou.

Afinal, dá para engravidar?

Na fase adulta, a pressão que parece até uma obrigação engravidar é muito forte. Mas o que você realmente deseja? Até completar os seus 35, 40, 45 anos, pode ser que você queira se estabelecer na carreira, viajar o mundo, conseguir ser independente financeiramente. Pode ser que a prioridade de ter filhos só venha anos mais tarde.

Isso implica em algumas consequências biológicas que já são muito discutidas. A mulher já nasce com uma quantidade de óvulos disponíveis e, por isso, as chances de engravidar diminuem conforme o tempo passa, aumentando também a probabilidade de ser uma gravidez de risco.

“Mesmo com os tratamentos disponíveis, a medicina não consegue aumentar a fertilidade da mulher, mas consegue diminuir os riscos de uma gravidez em idade avançada”, explica a ginecologista e especialista em reprodução humana Cláudia Navarro.

Mulheres mais velhas podem usar a técnica do congelamento de óvulos para engravidar (Foto: Shutterstock)

Contudo, Com a doação de óvulos, mulheres de qualquer idade podem engravidar. Apesar disso, o Conselho Federal de Medicina recomenda que essa doação seja aceita apenas para mulheres até 50 anos. “É uma opção para pacientes que desejam engravidar e não tem mais óvulos ou que encontram dificuldades para engravidar naturalmente”, complementa a ginecologista Cláudia.

Já, o congelamento de óvulos, também chamado de Preservação Social da Fertilidade, permite que uma mulher guarde alguns dos seus óvulos para usar anos depois. Com esse recurso, é possível que ela termine o doutorado, arrume o emprego dos sonhos, viaje pelo mundo e curta vida da maneira que ela quiser!