“Parto de luxo” em nova maternidade é criticado por expor mulheres

A Rede de hospitais D’Or São Luiz sofreu muitas críticas de mulheres que se sentiram ofendidas com a proposta. Elas disseram que todo luxo banaliza o momento do parto

Resumo da Notícia

  • A Rede D'Or São Luiz promete inaugurar  a maternidade "mais luxuosa do país"
  • A família poderá assistir ao nascimento em um camarote, com serviço de garçons
  • Muitas mulheres acusaram a nova proposta de estar banalizando o parto

A Rede de hospitais D’Or São Luiz vai inaugurar em São Paulo uma nova maternidade que promete ser a “mais luxuosa do país”. Muitas mulheres criticaram a proposta e acusaram o hospital de estarem tirando a privacidade da mulher durante a hora do parto.

-Publicidade-
Cesárea sem sangue
A proposta da nova maternidade não agradou muitas mulheres (Foto: Getty Images)

Segundo reportagem da revista Veja São Paulo, as gestantes serão hospedadas em um quarto totalmente automatizado e a família poderá assistir ao nascimento em um camarote, com serviço de garçons servindo drinks. Tudo isso por diárias de até R$ 12 mil.

Até que ponto todo esse luxo em torno do nascimento de um bebê é  necessário?  A falta de privacidade da gestante e a desigualdade social foram os questionamentos de algumas mulheres que se sentiram incomodadas e demonstraram sua indignação nas redes sociais.

“Meu Deus, banalizando até o parto. Hora em que a mulher fica vulnerável, acabada, destruída. Além de brega, uma invasão total de privacidade. A intimidade da mulher exposta para até 10 pessoas se deliciando em buffet chique enquanto ela está parindo. Ótima sacada de marketing parabéns!”, escreveu Vania Olmedo no Twitter.

O trabalho de parto mostra que está chegando quando a grávida perde o tampão mucoso
Mulheres acusaram a maternidade de banalizar o trabalho de parto (Foto: Getty Images)

“Claro, porque tudo o que eu quero é participar de um parto onde temos uma mulher sofrendo dores e bebês chorando enquanto tomo meu bom gin…”, ironizou Bruna Araujo.

Izabel Mendes trouxe outra problematização: “No país que está no top de mortalidade materna no mundo. Tá certinha a nossa sociedade. E mulheres, ricas ou pobres, precisam de privacidade e acolhimento no pós parto. Festa, pessoas q não podem ajudar a mãe, é o pior que uma empresa de saúde pode oferecer”.

A maternidade São Luis Star se pronunciou e disse que o parto é protegido por um vidro fosco, que mantém a privacidade da mulher. A família que aguarda no lounge só consegue enxergar mãe e bebê após o nascimento.