Gravidez

Parto humanizado: dá para fazer pelo pelo SUS?

Nove hospitais municipais de São Paulo oferecem esse atendimento às futuras mães

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

pregnancy-pregnant-woman-natural-water-birth-picture-id626697890

(Foto: iStock)

É cada vez mais comum a discussão sobre parto humanizado no Brasil. As futuras mães estão mais conscientes de seus direitos e cobram, com toda razão, políticas públicas. E parece que mais um pequeno passo foi dado, em março deste ano, com determinação do Governo Federal de criar ações para diminuir o número de cesáreas realizadas pelo SUS. Dados do próprio Governo mostram que o índice de cesárias no SUS está diminuindo. São 58% de partos normais contra 41,9% de cesárias.

Para além da questão de o parto ser normal ou cesária, a humanização durante todo o processo de nascimento é fundamental. Na cidade de São Paulo, há um serviço para auxiliar a futura mãe nesse momento tão importante. É o Programa Parto Seguro, desenvolvido pela Organização Social de Saúde CEJAM (Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim) em parceria há cinco anos com a Prefeitura de São Paulo. O intuito é oferecer atendimento humanizado para as gestantes em nove hospitais públicos. “O programa busca diminuir a morte de mães em partos. Além disso, ele é um parto é tranquilo e atuamos para a mãe não sair traumatizada”, conta a coordenadora do programa, enfermeira e mãe de Frederico, Fernanda e Felipe, Anatalia Lopes Basile.

Esse serviço foi criado para que “a mulher seja protagonista do parto, por meio de humanização da assistência”, explica Anatalia. “O Parto Seguro insere enfermeiros e médicos obstetras na rede municipal, que antes passam por uma prova, entrevista, checklist do que ele irá atender, além das orientações para o parto”, finaliza. São oferecidos dois incentivos, são eles:

Incentivo à Humanização

  • Visita prévia da gestante para conhecer a maternidade
  • Acolhimento do serviço social
  • Grupo de orientações de cuidados com o recém-nascido e aleitamento materno
  • Liberação de visitas em horário ampliado
  • Acompanhante durante o parto
  • Contato pele a pele no momento do parto
  • Aleitamento materno na primeira hora de vida
  • Treinamento contínuo da equipe

Incentivo ao Parto Normal

  • Acolhimento e orientações com incentivo ao parto normal
  • Protocolos de incentivo ao parto normal com obrigatoriedade de justificativa para parto cesárea
  • Indicador com meta para parto normal
  • Treinamento contínuo da equipe

Os hospitais que oferecem o programa são:

HM Dr. Ignácio Proença de Gouvêa: Rua Juventus, 562 – Parque da Mooca, São Paulo – SP, 03124-020

HM Prof. Alípio Correa Neto: Alameda Rodrigo de Brum, 1989 – Vl. Paranagua, São Paulo – SP, 03807-000

HM Tide Setúbal: R. Dr. José Guilherme Eiras, 123 – Vila Dr. Eiras, São Paulo – SP, 08010-220

HM Prof. Dr. Waldomiro de Paula: R. Augusto Carlos Bauman, 1074 – Itaquera, São Paulo – SP, 08210-590

HM Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha: Estr. de Itapecerica, 1661 – Campo Limpo, São Paulo – SP, 05835-005

HM Prof. Mário Degni: R. Lucas de Leyde, 257 – Rio Pequeno, São Paulo – SP, 05350-000

HM Dr. José Soares Hungria: Av. Menotti Laudísio, 100 – Jardim Cidade Pirituba, São Paulo – SP, 02945-000

HM do Servidor Público Municipal: R. Castro Alves, 60 – Aclimação, São Paulo – SP, 01532-000

HM de Vila Nova Cachoeirinha: Av. Dep. Emílio Carlos, 3100 – Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo – SP, 02720-200

Leia também:

Entenda o parto humanizado

Existe jeito certo de fazer força durante o parto normal? Tire suas dúvidas!

Carol Castro relembra intensidade do parto humanizado

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não