Risco de trombose e diabete gestacional pode aumentar na quarentena: saiba quais cuidados tomar

O aumento de hormônios já contribui para a piora da circulação do sangue. O sedentarismo e má alimentação apenas pioram esse quadro. Veja como evitar complicações

Resumo da Notícia

  • Quarentena não é desculpa para ficar parada
  • Veja a importância de praticar exercícios e se alimentar bem para evitar complicações durante a gestação
  • Os cuidados com seu corpo vão ter benefícios para você e o bebê
Os cuidados com a saúde do bebê começam antes mesmo dele nascer (Foto: Getty Images)

“Existem vários problemas que podem acontecer em uma gestação, justamente por causa da grande quantidade de hormônios circulantes, como a progesterona e o estrogênio. Eles alteram a circulação, a quantidade de fluxo sanguíneo e podem causar diversas alterações”, pontua a ginecologista Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). Por isso, é preciso ter cuidado e fazer o acompanhamento com um especialista. 

-Publicidade-

O cuidado da mãe com o bebê começa muito antes do nascimento. Os hábitos durante a gravidez podem fazer toda a diferença na forma como ele vai se desenvolver e pode implicar em complicações tanto para a criança quanto para a mãe. Com a pandemia do coronavírus e necessidade de isolamento social, as gestantes também têm enfrentado um momento complicado. Os médicos alertam que o sedentarismo e má alimentação que esse período pode trazer aumenta os riscos de trombose e diabetes gestacional. 

Em um período de quarentena, a tendência é que as gestantes fiquem em casa, assistam mais TV, comam besteiras e tornem-se mais sedentárias”, explica a Dra. Aline Lamaita, cirurgiã vascular e angiologista, membro do Colégio Americano de Medicina do Estilo de Vida e é aí que mora o perigo, pois favorece o surgimento de trombose, uma condição em que um coágulo sanguíneo se desenvolve no interior das veias das pernas devido à circulação inadequada, impedindo a passagem de sangue. Nos casos mais graves, o coágulo pode se desprender da parede da veia e chegar até o pulmão, levando a embolia pulmonar. 

-Publicidade-

Cada coisa no seu trimestre

Por isso, reforçamos: vale a pena se cuidar, por você e pelo bebê. No primeiro trimestre de gestação, a barriga ainda não apareceu, mas os hormônios já estão à flor da pele e também há um aumento importante da quantidade de sangue no corpo, tudo para formar a placenta e garantir o bem-estar desse novo ser. “O aumento da progesterona pode causar uma flacidez das veias o que pode levar a inchaço, dor nas pernas, tonturas e sensação de queimação”, comenta a angiologista. O segundo trimestre costuma ser mais tranquilo, mas ainda tendo cãibras à noite.  

Organize a sua rotina e arrume um tempo para praticar atividades físicas (Foto: iStock)

Mas é no terceiro trimestre, quando a barriga está no auge do tamanho, que há um prejuízo grande no retorno do sangue das pernas. “Claro que quanto maior for o ganho de peso durante a gestação, mais sofrido será esse período. Apesar de termos essas diferenças entre as fases da gestação, há pacientes que terão manifestações gravíssimas, com piora das varizes, tromboflebites, trombose, e por outro lado, existem mulheres que vão passar uma gestação supertranquila, sem lembrar que o vascular existe”, completa. 

O sedentarismo e má alimentação estão especialmente ligados a esses problemas. Ficar muito tempo parada faz com que a velocidade do sangue dentro dos vasos seja reduzida. Quarentena não é desculpa, você pode caminhar dentro de casa e fazer exercícios para diminuir a chance de problemas. “Sempre é indicado que as pacientes utilizem meia elástica de leve ou média compressão e essa meia deve ser usada continuamente, o quanto mais tempo melhor”, acrescenta a Dra. Ana. A recomendação é de pelo menos 15 minutos de atividade diária para evitar complicações. 

Você (e seu filho) são o que você come

Já em relação às dietas, o ideal, segundo as especialistas, é se afastar do excesso de açúcar, doces e carboidratos, assim como ingerir uma maior quantidade de frutas, verduras e legumes, ricos em fibras, que melhoram a circulação e diminuem o inchaço. Por isso, enfatizam que se deve evitar comer alimentos que trazem bem-estar momentâneo, mas desregulam o metabolismo. 

“O diabete gestacional acontece principalmente depois de 24 semanas, quando a placenta produz hormônios que são hiperglicemiantes, e essa hiperglicemia fisiológica se não for contrabalanceada com uma qualidade de estilo de vida favorável, com exercícios físicos, dieta equilibrada, pode desenvolver esse problema. Isso pode levar a complicações para o bebê, inclusive má formação cardíaca, alteração respiratória e um ganho exagerado de peso, que repercute na vida adulta, com síndrome metabólica, pressão alta, alteração de triglicérides e obesidade”, lembra a especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira”.

É hora de optar por comidas saudáveis e deixar o prazer momentâneo de lado (Foto: iStock)

Então, sem preguiça! O cirurgião Dr. Paolo Rubez, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica destaca que sentimentos como ansiedade e apatia são comuns de aparecer como resposta ao que estamos vivendo. “Para evitar que eles se instalem, e mesmo em resposta a eles, é importante que as pessoas criem rotinas e tarefas ao longo do dia, como horário para acordar, para dormir e trabalhar, mesmo que em home office. Além disto, é fundamental a prática de alguma atividade física, mesmo em casa, pois isto gera a liberação de neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar. Hoje também existem vários aplicativos, mesmo grátis, que ensinam técnicas de meditação e ajudam a inseri-la na rotina de qualquer pessoa, aumentando esse cuidado com a saúde mental”, finaliza.  

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-