Seu bebê é o que você come

Pesquisadores ingleses descobrem que o que a mulher come antes de ficar grávida tem efeito direto no DNA do bebê

-Publicidade-

Pesquisas feitas pela London School of Hygiene & Tropical Medicine apontam que a dieta da mulher antes mesmo de ficar grávida tem ligação direta com os genes de seu futuro bebê, de acordo com o tablóide Daily Mail. E mais: pode ter impacto ao longo da vida da criança, podendo determinar não só características, mas possíveis doenças no futuro.

Para chegar a essa conclusão, Andrew Prentice e mais uma equipe de pesquisadores da instituição analisaram mulheres de áreas rurais da África Ocidental, onde há diferentes estações e, em cada uma, tipos específicos de alimentos consumidos.

-Publicidade-

Junto com pesquisadores do Conselho de Pesquisa Médica de Gâmbia, ele mediu a concentração de vários nutrientes no sangue de cerca de 170 mulheres que haviam acabado de engravidar. Dessas, metade havia engravidado em época de chuvas e a outra metade, na estação seca – e, consequentemente, comido alimentos diferentes.

O DNA de seus bebês foi examinado depois que eles nasceram. Olhando todos os dados levantados, a conclusão: os genes das crianças eram diretamente afetados pelo que as mulheres haviam comido, não durante, mas antes da gestação.

Por que existe essa ligação entre a comida e o DNA?

De acordo com a pesquisa, o que acontecem são mudanças chamadas “epigenéticas” no DNA: não mutações genéticas, mas alterações químicas que determinam quando os genes se tornam ativos ou não. Por exemplo: um gene que determina uma doença pode existir no organismo mas ficar para sempre inativo ou, com fatores externos (como a alimentação), ser ativo.Ainda segundo os pesquisadores, não se sabe se essas alterações afetam a saúde e geram deficiências a curto prazo. Mas há hipóteses de que estão envolvidas com genes ligados a obesidade, ao câncer e ao sistema imunológico. Diabetes e doenças de coração também podem ser “moldados” de acordo com a alimentação. De acordo com Prentice, já são grandes avanços na ciência. “O que é impressionante é que nós tocamos em algo que tem consequências em todo o mundo para as mulheres que querem engravidar”.

O que comer?

As mudanças químicas saudáveis podem ser estimuladas com a ingestão de nutrientes como vitaminas B2, B6, B12 e B9 (o famoso ácido fólico, já comumente indicado antes mesmo de a mulher engravidar). Leite, legumes, folhas verdes e proteínas são algumas das fontes desses nutrientes.Os pesquisadores apontam a possibilidade de a mulher precisar tomar alguns suplementos dessas vitaminas antes da gravidez.

Leia também: 6 perguntas sobre ácido fólico e gravidez

-Publicidade-