Gravidez

Uso de paracetamol durante a gestação pode aumentar o risco do bebê desenvolver autismo e TDAH

A pesquisa foi realizada pela Escola de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, na Inglaterra

Letícia Vaneli

Letícia Vaneli ,filha de Alcides e Eugênia

(Foto: Reprodução/Getty Images)

Pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, em Bloomberg, na Inglaterra afirmaram que o uso de paracetamol durante a gestação pode aumentar os riscos do filho nascer com autismo ou TDAH, ou seja, déficit de atenção e hiperatividade. O estudo foi publicado nesta quarta-feira, 30 de outubro, no periódicos JAMA Psychiatry.

Os responsáveis pelas pesquisa examinaram 996 nascimentos e mediram as concentrações do medicamento no sangue do cordão umbilical. Os resultados mostraram que 25,8% destas crianças foram diagnosticadas com TDAH, 6,6% com algum grau do espectro autista e apenas 4,2% apresentava as duas condições.

Os pesquisadores também descobriram que os recém-nascidos, quem tinham o componente presente, são 2 vezes mais propensas a desenvolverem uma ou até as duas condições. Apesar dos resultados apoiaram pesquisas realizadas anteriormente, é necessário que mais pesquisas a cerca do tema sejam desenvolvidas. Entretanto, o uso de paracetamol durante a gestação deve ser cuidadosa e somente em casos de prescrição médica.

Leia também:

Pesquisador brasileiro desenvolve dispositivo que detecta autismo em crianças

Pesquisa descobre que amamentar por mais tempo pode desenvolver alergias alimentares

Estudo mostra que componente de inseticidas podem causar riscos em grávidas