Família

Conheça como vai funcionar o Ministério da Cidadania que será comandado pelo médico Osmar Terra

A ideia do novo ministro é usar o esporte e a cultura para melhorar a vida da família brasileira

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

O ministro Osmar Terra esteve no nosso 4° Seminário Internacional Pais&Filhos para falar sobre o projeto, idealizado por ele, Criança Feliz (Foto: Gustavo Morita)

Osmar Terra, pai de Arthur e Enzo, médico formado pela Faculdade de Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializado em neurociência, será o novo Ministro da Cidadania no governo do presidente Jair Bolsonaro. O Ministério vai unir, numa mesma pasta, a promoção social, a cultura e o esporte.

Quando o atual presidente fez algumas junções de ministérios, como esta que Osmar irá assumir, foi bastante criticado sobre como o novo gestor poderia ser especializado em tantas áreas. Porém, segundo o ministro, não é preciso ser expert em cada delas.

Ele defendeu que o importante é ter vontade de conectar todas elas, principalmente usando a atividade cultural e o esporte como uma grande oportunidade para a sociedade crescer. Até mesmo para combater às drogas no meio de crianças e jovens.

“A junção nos facilita a usar a cultura e o esporte na promoção social, como formas de ajudar o jovem a sair da pobreza. A cultura abre possibilidade de geração de emprego, de estimular a economia criativa”, disse o ministro em entrevista à revista IstoÉ.

De acordo com Osmar, se conseguirmos ampliar o acesso que o adolescente e jovem, das áreas carentes da sociedade, têm às atividades esportivas podemos ajudar a melhorar a vida dessas famílias. E o envolvimento do ministro com a cultura não é de agora, Osmar praticou capoeira durante boa parte de sua juventude e até sabe tocar o instrumento berimbau.

Além do foco no desenvolvimento de atividades culturais, uma grande preocupação do ministro é o aumento de jovens e adolescentes nas drogas. “Eu considero que a questão das drogas é hoje o nosso maior problema de saúde pública e um dos maiores fatores de empobrecimento da população”, disse.

O médico comentou, inclusive, que quando um pai de família começa a usar drogas, leva toda a família para a miséria social. “É uma epidemia de saúde que gera uma epidemia de violência […] Nós vamos cuidar da parte de tratamento, prevenção e pesquisa”.

Osmar Terra participou do nosso 4° Seminário Internacional Pais&Filhos, que teve como tema “Cada um do seu jeito” e aconteceu no dia 27 de novembro de 2017 na Unibes Cultural, em São Paulo. O ministro falou sobre um projeto idealizado por ele, e bastante conhecido no Brasil: Criança Feliz.

O projeto Criança Feliz foi idealizado pelo ministro Osmar Terra (Foto: iStock)

O programa surgiu como ferramenta para que as famílias com crianças na primeira infância, entre zero e seis anos, possam oferecer um desenvolvimento pleno para os filhos. A principal ação do projeto é a realização de visitas nas casas das pessoas. Elas fazem parte de uma estratégia de aproximação dos serviços.

De acordo com o portal do programa, estudos apontam que essas visitas fortalecem o vínculo e a capacidade da família de cuidar das crianças e promover um desenvolvimento infantil de qualidade. “A capacidade de dar e receber afeto se organiza até os 18 meses de vida”, comentou Osmar. Por isso é tão importante o acompanhamento dos responsáveis, aqueles que têm vínculo afetivo com o bebê, durante essa fase. É justamente este o objetivo do projeto, ajudar famílias com condições financeiras menores a ter os mesmos direitos de desenvolvimento familiar que o restante da população.

“A formação da memória cognitiva ocorre nos primeiros mil dias de vida do seu filho. Ele precisa da maior quantidade possível de informações para se desenvolver plenamente”, explicou o Ministro. Quando os visitantes vão as casas das famílias orientam e verificam quais as necessidades daquele grupo para indicarem os profissionais adequados para lidar com cada caso.

Leia também:

“A capacidade de dar e receber afeto se organiza até os 18 meses de idade”, afirma Osmar Terra

Osmar Terra afirma que investir na primeira infância é pensar no futuro

Benefícios do programa nacional “Criança Feliz” são reconhecidos por outros países