Família

Mãe conta como a maternidade é diferente da expectativa: “Dizia que meu bebê nunca usaria chupeta”

Quem nunca?

Cecilia Malavolta

Cecilia Malavolta ,Filha de Iêda e Afonso

Foi tudo diferente (Foto: GettyImage)

A história de Amy faz parte de uma série de relatos de pais e mães americanos que enviaram suas histórias sobre “o pai/mãe que eu pensei que seria”. Quando você engravida faz planos e desejos que gostaria de fazer quando o bebê nascer e, na maioria das vezes, é bem diferente do esperado. E tudo bem! Cada família funciona de um jeito e a melhor fórmula é aquela que você mesma encontra para fazer tudo se encaixar. Como sempre dizemos: não existe o jeito certo, existe o seu jeito!

Voando sozinha por Amy Korst

Quando eu imaginei o nascimento do meu filho, eu via meu marido segurando minha mão enquanto meu parto seguia, totalmente natural. Meu bebê nunca saberia o que é uma chupeta ou uma mamadeira. Só usaria fraldas de pano.

Aqui está a experiência de parto que eu na verdade tive: gravidez não planejada, nenhum parceiro à vista. Lágrimas de quando eu implorei por uma anestesia epidural. Dois dias cansativos de trabalho de parto, minha mãe segurando minhas pernas e meu pai apoiando minhas costas.

As enfermeiras alimentando meu filho com fórmula enquanto eu me recuperava. No primeiro dia, aprendi uma lição valiosa sobre a criação dos filhos: expectativa não corresponde a realidade. E eu não me importo que a nossa vida não se pareça com nada que eu planejei, porque eu amo a nossa vida.

A mãe que eu pensei que seria tinha tudo – o cônjuge, a casa, o dinheiro que precisava para pagar a comida orgânica do bebê. Eu nunca me vi com mãe solo, nem por um dia. E a maternidade solteira é a coisa mais difícil que já fiz.

Ser uma mãe solteira significa que você tem que fazer tudo ou nada será feito. Ir para aulas de natação e consultas médicas, beijar joelhos ralados, treinar o filhote de cachorro, fazer as compras, arrumar a árvore de Natal.

Você tem que fazer tudo, mas você também consegue fazer tudo. Há momentos todos os dias que me enchem de amor. Meu Ethan, agora com 4 anos, odeia a hora de dormir. Ele vem com um milhão razões para sair da cama cada.

Uma noite, ele foi para a sala de estar. Suspirei. “Ethan, o que mais você precisa?”. “Eu sinto tanto a sua falta, mamãe.” Um beijo, um abraço e de volta para a cama. A mãe que eu pensei que seria teria tido uma vida perfeita. O que recebi é ainda melhor.

Leia também:

Marcos Mion fala sobre paternidade: “Se você é um pai presente, o desafio é constante”

A gente amou! Pai aos 71, Elton John fala que irá se aposentar para ficar com os filhos em casa

Fernando Meligeni fala sobre a relação sólida com o pai