A arte de ser mãe

Palestra de Cris Guerra emociona público do 1º Seminário Internacional de Mães

Cris Guerra no Seminário de Mães
Cris Guerra no Seminário de Mães

“A diferença entre a tragédia e a comédia é o distanciamento que tomamos”. Foi assim que começou a palestra da autora dos blogs Para Francisco e Hoje Eu Vou Assim, Cris Guerra, para o 1º Seminário de Mães. O público se dividiu entre choro e riso quando a autora contou sobre suas experiências de vida e sobre como foi perder o pai de seu filho enquanto ela ainda estava grávida: “Eu fui escolhida para ter dois sentimentos igualmente fortes e opostos ao mesmo tempo”.

-Publicidade-

Um ano após perder seu marido e com o filho Francisco ainda pequeno, Cris Guerra escreveu uma carta para ele usando como figura de linguagem o “Para Francisco”. Neste momento, percebeu que estava diante de uma ótima oportunidade: registrar para seu filho tudo o que sentia e pensava e deixar para ele memórias do pai. Não parou mais de escrever e, 45 dias depois, teve a ideia de fotografar todos os dias a roupa que usava, foi aí que nasceu o Hoje Eu Vou Assim, dois blogs que nasceram lado a lado. “Se não fosse isso, eu seria uma mulher muito chata, essa era a forma de mostrar para mim mesma que o futuro existe”, conta.

Hoje, além dos blogs, Cris é publicitária, palestrante, escritora e colunista de moda. Isso sem que é mãe do lindo Francisco que já no finalzinho da palestra deu as caras e arrancou, junto com a mãe, uma salva de palmas. Essa hora que passamos com Cris Guerra foi emocionante e muito proveitoso, além da aula de vida, Cris dividiu com quem estava no Seminário uma lista com coisas que aprendeu sobre maternidade:

-Publicidade-
  • Não vem como manual. É uma construção particular.
  • Ser mãe é saber dizer não. Especialmente para a expectativa dos outros.
  • Mães são empreendedoras. Depois de ter filho você se vira, quando você tem filho pra criar, você tem uma força muito maior.
  • Comparou, chorou. Cada história é uma história.
  • Ter um filho rejuvenesce. Me sinto com 25 aos 45 porque quando o filho nasce, você tem de rever a vida e acreditar na vida de novo.
  • Ser mãe não é minha única fonte de satisfação.
  • É uma aventura sem volta.
  • Mães precisam de ajuda. Pedir ajuda é muito bonito e necessário.
  • O que faz um filho feliz é uma mãe feliz.
  • Aprendi a me perdoar. Fiz as pazes com a imperfeição!

1º Seminário de Mães

Esta foi somente a primeira das cinco palestras que tivemos no nosso Seminário de Mães. Todas foram mediadas por nossa diretora editorial, Mônica Figueiredo.

Confira como foi incrível o Seminário:

 

Semana Cris Guerra_CARD

-Publicidade-