Mais

Histórias de Copa: Brasil, silêncio, por favor!

Cecília Malavolta e Nathália Martins

mother-calms-crying-baby-son-picture-id671968592

(Foto: iStock)

Que a Copa do Mundo rende histórias incríveis, todo mundo sabe. Mas a história da nossa leitora Dalva Dalallana é diferente: ela queria até que o Brasil perdesse. Apostamos que você não está entendendo muita coisa, né? Então dá uma olhada na história dela para entender:

“Em todas as Copas eu e meu marido nos reuníamos na casa do nosso amigo Joviniano, que era padrinho do Afonso, meu filho. Era a final da Copa de 1970 e o Afonso tinha apenas 2 meses de idade, então minha missão era não deixar que ele acordasse. Enquanto o pai e o padrinho dele estavam torcendo muito para que o Brasil ganhasse, eu torcia contra, porque para cada gol que o time fazia, estouravam vários rojões e o meu filho acordava, por conta disso eu ficava o tempo todo perto dele, pronta para segurá-lo caso ele acordasse e abrisse o berreiro. Quando o Brasil venceu o jogo, soltaram-se os rojões e o Afonso acordou, é claro, e custou para voltar a dormir. Depois disso, fiquei feliz com a vitória e hoje em dia nós continuamos a nos reunir em época de Copa, fazemos churrascos e aproveitamos o tempo juntos, todos gostando de futebol, só o Afonso que não curte muito”

Untitled-1

(Foto: Arquivo Pessoal)

Leia também:

No clima de Copa, alunos criam projeto solidário para ajudar crianças com câncer

Histórias de Copa: o amor que vem de berço

Histórias de Copa: O importante é torcer!