Permissiva, eu?

Culpa, não!

-Publicidade-

Sim, sim, sim, é difícil dizer não para os filhos. Não, não, não dá pra dizer não para eles o tempo todo. Pois é: qual é a medida?  Muito sim estraga. Muito não, trava. E aí bate na gente aquela sensação de que vamos passar a vida nos perguntando o que fazer ou sentindo culpa.

Relaxa já: seu filho não é cobaia, nem você um cientista louco, mas vida de mãe e pai é assim mesmo, um eterno experimentar até conseguir descobrir o próprio modo de fazer as coisas, de educar, sacar a pegada. É, o bombardeio a gente conhece bem… Toooooodo mundo dá palpite: os pais da gente, amigos, pediatras, os médicos, a enfermeira, professores, gente que a gente nem conhece direito e ufa… Além de confundir em vez de ajudar, isso é muito chato. Porque com o palpite, normalmente vem junto um julgamento meio velado, não é?

-Publicidade-

Então, respira. Não deixe seu filho te colocar no bolso, não diga sim pra tudo, mas não se transforme numa bruxa. Você vai descobrir, no seu tempo, qual é o seu jeito, a força da sua opinião, da sua voz, da sua palavra, do seu gesto. E sem culpa, por favor… 

    -Publicidade-