Gravidez

Relato de mãe: “Uma nova gravidez não apagou a dor e a memória do filho que perdemos”

Você se identifica?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Divulgação/PopSugar)

(Foto: Divulgação/PopSugar)

As emoções de ter um aborto espontâneo ou de perder um filho já são difíceis de lidar, mas os comentários que algumas mulheres ouvem depois da perda às vezes podem tornar as coisas ainda piores. Com a chegada de uma nova gravidez então, nem tudo são flores e o medo de acontecer novamente é ainda mais constante. A escritora Melissa Willets publicou um texto no site americano PopSugar sobre o lado de uma gravidez arco-íris (essa que chega após a perda de um filho) que ninguém fala. “Embora eu tenha dado à luz recentemente ao nosso bebê, isso não apagou a dor ou a memória do filho que perdemos”, conta Melissa.

Leia o relato dela na íntegra:

“Estamos todos acostumados a ver belas e coloridas imagens de mães grávidas de seus bebês arco-íris aqueles que chegam depois da perda de um filho. Essas fotos são lindas, sem dúvidas, e uma gravidez dessas merece ser celebrada. Mas, depois de carregar meu próprio bebê arco-íris, posso dizer-lhe que uma gravidez após uma perda tão devastadora não é apenas sorrisos. Também é extremamente doloroso e assustador, e é dessa perspectiva da gravidez arco-íris que ninguém fala.

Lembro de olhar para os posts nas redes sociais de outras mães falando sobre suas gestações antes de perder meu bebê com 23 semanas. Fui tocada por essas fotos íntimas que pareciam abraçar a alegria de esperar uma nova vida, enquanto também homenageavam os bebês-anjos que foram perdidos.

Depois da minha perda, imagens como essas me deram esperança. Eu sabia que queria tentar de novo ter um bebê e sonhei em chegar ao lugar onde essas mães também estavam, em que aparentemente haviam encontrado a paz com sua perda e estavam focadas em desfrutar de suas gestações.

Mas aprendi que você nunca encontra paz com a perda de um filho. Depois de um ano e uma nova gravidez, eu ainda estou lutando para aceitar o que aconteceu. E embora eu tenha dado à luz recentemente nosso bebê arco-íris, isso não apagou a dor ou a memória do filho que perdemos. Eu também não descreveria minha gravidez arco-íris como alegre. Claro, eu era capaz de encontrar alegria em certos momentos quando eu sentia meu bebê se mexer ou quando eu ouvia o batimento cardíaco dele, por exemplo.

Também adorei comprar roupas de bebê para o enxoval antes do dia do meu parto. Mas junto com essa felicidade, também senti uma tremenda culpa por não poder fazer essas coisas para o nosso bebê-anjo. Eu temia perder este bebê também e sentia uma profunda tristeza por nossa família nunca estar completa.

A experiência dessa gravidez foi completamente diferente das minhas gestações anteriores. Eu estava constantemente obcecada, com medo de algo dar errado, como da última vez. Às vezes, eu sentia tanta ansiedade que tinha certeza de que perderia meu filho como consequência. Por outro lado, quando os testes chegavam e tudo estava bem, com uma simples amostra de urina, eu ficava muito grata.

Ninguém te conta também que uma gravidez arco-íris também é muito longa mais do que uma gravidez normal. No meu caso, eu esperei um bebê por 15 meses nos últimos dois anos. Eu senti como se tivesse que esperar para sempre pela chegada do meu filho. Às vezes parecia que esse dia nunca chegaria. E nos dias que antecederam o nascimento dele, lembro-me de dizer ao meu marido: “Ele não é real. Nunca vou conseguir segurá-lo em meu colo”.

E depois de um parto doloroso, quando pude finalmente olhar para meu bebê aconchegado no meu peito, eu respirei tranquila. Eu sinceramente não podia acreditar. Uma semana depois de receber nosso arco-íris, ainda me vejo encarando-o, maravilhada por ele estar saudável, seguro e perto de mim. Duvido que algum dia deixarei de me surpreender com meu novo filho, e essa é a parte maravilhosa de uma gravidez arco-íris. Quando acaba, você é premiada pelo milagre da vida. E as pequenas preocupações parecem tolas e sem valor. Tudo o que importa é vida, amor e esperança.”

Leia também:

Aborto espontâneo: a culpa não é sua!

Relato de mãe: “Eu não tinha ideia de que me sentiria assim no pós-parto”

De partir o coração: coisas que as mulheres escutam após o aborto espontâneo

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não