Mais

Semana Mundial do Aleitamento Materno: o que ninguém nunca te contou sobre amamentação

A atriz, humorista e apresentadora Miá Mello, mãe de Nina e Antônio e Bianca Arcangeli, publicitária e mãe de Thomas, falaram sobre os perrengues e as delícias da amamentação


Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: iStock)

Assim como tudo na maternidade, a amamentação é rodeada de mitos e dúvidas. Apenas com a prática, a vivência do dia dia e o contato com o filho que a mulher descobre a realidade, os perrengues e as delícias de ser mãe.

Aquela clássica cena da mãe amamentando o bebê tranquilamente, com um sorriso no rosto e perfeitamente arrumada, dá a impressão de que o aleitamento materno é simples e natural. O que quase ninguém conta é que nem sempre funciona assim. Por isso, no último dia da Semana Mundial do Aleitamento Materno, a Pais&Filhos convidou a atriz, humorista e apresentadora Miá Mello, mãe de Nina e Antônio e Bianca Arcangeli, publicitária e mãe de Thomas, para bater um papo sobre o que ninguém nunca te contou sobre amamentação.

Ter informação, trocar experiências com outras mães e poder contar com uma rede de apoio é o caminho para conseguir encarar a amamentação de uma forma mais leve, segura e tranquila.

Os primeiros medos e dores

“A primeira coisa que acontece é que seu leite não desce nos 3 primeiros dias. Mas seu filho não vai morrer por causa disso, tá? No primeiro momento, fiquei desesperada, achei que tinha algo de errado com meu corpo. Mas depois, tudo se encaixou. Com a Nina, tive dor apenas nas primeiras puxadas, mas depois foi tudo tranquilo. Já com o Antônio, doeu bastante. Queria fazer uma redução de mama e todo mundo me falava que iria atrapalhar. Mas não liguei e fiz. Até hoje, não sei se foi emocional por tudo que me falaram, se eu estava abalada emocionalmente ou se realmente era do meu corpo. Foi bem complicado e desgastante. Tive pouco leite, precisei usar sonda, tomar complementos e tudo mais”. Miá Mello

“Ser mãe é como tentar dobrar um lençol: não temos certeza de qual é a maneira correta, mas desde que ninguém se machuque você está fazendo certo” (Foto: iStock)

“Amamentei muito pouco, somente até os 3 meses do Thomas. Descobri que estava grávida dele só com 5 meses de gestação, então eu não sabia muita coisa sobre o assunto. Ficava dando de mamar por 40 minutos em cada peito, então a médica sugeriu de parar a amamentação pois eu estava ficando desidratada e ele sempre sentia fome. Não senti culpa de parar, mas eu senti que ele não precisava mais de mim”. Bianca Arcangeli

Pai também amamenta

“Acho muito importante ter uma rede de apoio durante a amamentação. Com o pai principalmente. Ele só não tem um peito para dar, mas tem muitas coisas para fazer. Fiquei muito cansada o tempo todo e precisava de alguém para ajudar”. Bianca Arcangeli

”A mãe precisa de um cuidado também. Quando você começa a amamentar, tem alguém sugando suas vitaminas, sua energia. Meu cabelo caía, eu estava muito magra e desgastada. Além disso, durante a minha primeira amamentação, eu não sabia de muitas coisas, então ficava assustada com tudo que acontecia no meu corpo. O pai precisa se fazer presente de alguma maneira na amamentação. Você só não tem o peito pra dar, mas tem outras milhares de coisas para fazer. Você pode alimentar sua mulher, pode dar água para ela, estar com ela na hora de ordenhar leite dar com um copinho para o seu filho, fazer as tarefas de casa”. Miá Mello

Vem assistir à live completa!

Leia também:

Semana Mundial do Aleitamento Materno: como faz para doar leite materno?

Semana Mundial do Aleitamento Materno: como amamentar sem dor

Semana Mundial do Aleitamento Materno: tire suas dúvidas sobre amamentação em público