Mais

Você precisa conhecer a história dessa mãe solteira que se formou em Harvard

Briana Williams conta como se formou na faculdade e conciliou os cuidados com a filha de 1 ano, Evelyn

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Untitled design

Foto: Reprodução Instagram @lovexbriana

Ser uma mãe solo e conciliar a maternidade com os estudos pode ser uma tarefa difícil. Ainda mais se você estuda em Harvard. Essa mãe contrariou todas as probabilidades e conseguiu o que poucos acreditavam ser possível: ela se formou em Direito na Universidade de Harvard. 

Quando Briana Williams recebeu seu diploma de direito, ela atravessou o caminho da mesma maneira como ela atravessou seu campus em seu último ano de faculdade – carregando sua filha pequena nos braços. A formanda de 24 anos fez uma série de fotos posando com sua filha de 1 ano, Evelyn, com beca capelo combinando.

“Primeiro, eu era uma anomalia da minha comunidade. Depois que virei mãe solteira, passei a ser mais uma estatística”, ela escreveu. “Agora, eu torço para que eu seja levada como exemplo – por causa da minha bebê”.

I went into labor in April- during final exam period. I immediately requested an epidural so that my contractions wouldn’t interfere with my Family Law grade. And, with tears in my eyes, I finished it. This “biting the bullet” experience is quite quintessential of my time at Harvard. To say that my last year of law school, with a newborn, and as a single mom was a challenge would be an understatement. Some days I was so mentally and emotionally fatigued that I did not leave my bed. I struggled with reliable childcare. It was not atypical to see me rushing through Wasserstein to the Dean of Students’ office with Evelyn in her carriage, asking DOS can they keep her for a few until class was over. If not, she’d just have to come with me to class. Evie attended classes often. So I’m going to be honest with you guys.. I didnt think I could do it. I did not think that, at 24 years old, as a single mom, I would be able to get through one of the most intellectually rigorous and challenging positions of my life. It was hard. It hurt. Instagram can make peoples’ lives seem seamless, but this journey has been heartwrenching. However, I am happy to say that I DID do it. Today, Evelyn in my arms, with tears streaming down my face, I accepted my Juris Doctor from Harvard Law School. At first, I was the anomaly of my [marginalized] community. Then, as a single mother, I became a statistic. Next, I pray that- for the sake of my baby, I will be an example. Evelyn- they said that because of you I wouldn’t be able to do this. Just know that I did this BECAUSE OF YOU. Thank you for giving me the strength and courage to be invincible. Let’s keep beating all their odds, baby.

Uma publicação compartilhada por Briana Williams, J.D. (@lovexbriana) em

“Eu fui bem esse semestre. Fui muito bem em todos os semestres na verdade” ela contou à TODAY de Los Angeles, onde ela vive e em breve começará a trabalhar: Williams já conseguiu um emprego no departamento de contencioso de uma grande empresa na área. Mas, por enquanto, ela está estudando para outro exame que acontecerá em julho, deixando pouco tempo para aproveitar os holofotes que brilham no feito que acabou de realizar.

Briana contou também que parte da razão pela qual ela compartilhou sua jornada é que poucas pessoas que a seguiam no Instagram entendiam a exaustão e a montanha-russa que era seu emocional durante o último ano. “Nas redes sociais nós vemos muito os resultados de outras pessoas, mas não o processo para alcançar aquilo. As minhas [redes sociais] não mostram as noites que passei acordada, as fraldas e meus problemas para criar Evelyn sozinha”, ela contou. “Eu só queria compartilhar minha história porque me senti muito empoderada por ela e esperava que outra pessoa se sentisse assim também”.

Williams criou sua filha sozinha mas com muita ajuda das pessoas de Harvard.

Ela evitou deixá-la em creches por causa do custo e, ao invés disso, colocou esse dinheiro na poupança.  Além disso, ela contou com a ajuda de amigos para tomar conta de sua filha, e às vezes levava a filha para a aula. “Se eu precisasse levar Evie para a aula, eu mandava um e-mail para meus professores e depois ficava tudo bem. Eu a deixava no escritório do reitor quando eu percebia que ela não conseguiria ficar calma e eu realmente precisava prestar atenção na aula.Todos a amavam lá”, completou.

Briana também admitiu que houveram dias em que ela achou que não conseguiria fazer o que precisava, mas ela espera que suas atitudes e realizações inspirem outras pessoas. “Existem algumas coisas na vida que são lamentáveis, mas não devemos deixar que certas circunstâncias determinem como vamos seguir em frente. Você pode usar algumas coisas como muleta ou pode aproveitá-las para inspirar outras pessoas”, acrescentou. “Se você tomar esse tipo de mentalidade com cada coisa negativa que acontece, você sempre vai ganhar no final”. No final do post, ela aproveitou para deixar uma mensagem para sua filha: “Obrigado por me dar força e coragem para ser invencível”, escreveu ela. “Vamos continuar contrariando todas as probabilidades, baby”.

I am everything I am because you love me. Happy Mother’s Day to all!

Uma publicação compartilhada por Briana Williams, J.D. (@lovexbriana) em

Leia também

Mãe solteira pode namorar, sim!

Aumente o som: música de uma mãe solteira para o seu filho

Mãe solteira faz desabafo comovente sobre as dificuldades do dia a dia