Mais

Você precisa ler o relato desse pai: “Ninguém é pai sozinho, nem ninguém é mãe sozinha”

"A paternidade te traz uma nova perspectiva de vida, uma força extra para viver e vencer", conta Yuri Sahione.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

yuri

(Foto: Reprodução Acervo Pessoal/Divulgação)

Em uma conversa com a Pais&Filhos, Yuri Sahione, pai de Teresa, Antonio e Helena, contou sobre os desafios e belezas da paternidade. Segundo ele, é necessário que se reinvente a cada dia. Vem conferir!

“Certamente, você, futuro pai, deve estar olhando para esta coluna e pensando que deve ser mais um clichê sobre paternidade. Até pode ter razão, mas me deixe então começar pelo fim. Sou pai de três filhos, a Teresa, de 3 anos, o Antonio, de 2, e a Helena, com 6 meses. Agora você se perguntou o porquê de não ter parado depois do casal. Uma vez, um amigo me disse que, quando a primeira filha nascesse, eu conheceria o amor incondicional. Ele estava certíssimo, eu só não tinha entendido o tamanho da reciprocidade. A paternidade te traz uma nova perspectiva de vida, uma força extra para viver e vencer, que é renovada a cada nascimento.

Nenhuma noite virada e nenhuma meta financeira batida servem de comparação com o êxito de cada passo dado, palavra falada e as estrofes emboladas cantadas de uma música infantil. Entramos em um projeto de dedicação exclusiva que não admite falhas, que exige aquele gás extra para mais um turno após o seu pior dia trabalho.

Sim, arrumamos tempo para eles, porque aprendemos o quanto gerenciar o tempo é importante, que o happy hour tem papinha, suquinho, videogame ou até um jogo de bola no play. Aprendemos a exercer a rigidez, mas com ternura. Se gritar com seu subordinado não funciona, porque ele não entende, imagine com os pequenos. A paternidade me fez pensar como administro o meu negócio (sou advogado), quando pagar bônus, quando mudar a abordagem da minha estratégia e me obrigar a pisar no chão da fábrica (lá em casa é carpete mesmo) e construir e reconstruir castelos, casas, fantasias e sonhos. Somos obrigados a aprimorar a nossa conduta. Hoje você ensina o exemplo e amanhã será cobrado da mesma forma e sem qualquer cerimônia. Ensinar.

Se você não tem talento para professor, pense que a cada brincadeira que você tem que inventar para não deixá-los entediados ou atender aquele pedido de história de último minuto na cama é um grande exercício de pensar fora da caixinha, que te será muito útil na hora de fazer aquela apresentação para o seu board. É verdade que me sinto mais cansado. Mesmo quando ninguém acorda na madrugada, não consigo mais desligar. Dormir até o meio-dia é passado. Quer saber se eu voltaria atrás? Jamais. Acordar no domingão às 7 e ir para a cozinha fazer panquecas. Todos com as mãos na massa. A lição mais importante que eu aprendi é de que a paternidade não é só sobre seus filhos.

Como qualquer grande empreendimento, a paternidade me fez ter a certeza de que é impossível ser bem-sucedido sem um sócio. Ninguém é pai sozinho, nem ninguém é mãe sozinha. O milagre da vida é fruto de uma grande comunhão e sem ela e ao menos um pouco de espiritualidade presentes no dia a dia da família, estamos correndo sério risco de fracassarmos.”

Leia também 

Retrospectiva Pais&Filhos 2017: conversa de homem

Conversa de homem: Trilha sonora

Paternidade: nasce um novo homem