Atenção: Ministério da Saúde diz que o pico de coronavírus está mais perto do que imaginávamos

Relatório técnico publicado pelo Ministro da Saúde, Luiz Mandetta, e outros especialistas afirma que o novo coronavírus deve circular no país até meados de setembro, com pico do coronavírus em dois meses específicos

Resumo da Notícia

  • Isolamento social, higienização das mãos e uso de máscaras são medidas apontadas como formas de prevenção à doença no Brasil
  • O país continuará enfrentando a pandemia até meados de setembro
  • Os autores do estudo não apresentam uma estimativa numérica de quantos casos de coronavírus devem ser registrados

 

-Publicidade-
Até meados de setembro, com um pico importante de casos em abril e maio (Foto: Getty Images)

Nesta terça-feira, 7 de abril,  a Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, da agência de notícias científicas Bori, de acordo com o G1, divulgou um relatório técnico assinado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e mais especialistas em saúde, que aponta que o Brasil terá pico dos casos de Covid-19 nos meses de abril e maio.

Além disso, os estudiosos constataram que o país continuará enfrentando a pandemia até meados de setembro. “Embora o Brasil esteja tentando implementar medidas para reduzir o número de casos, focado principalmente em isolamento social, uma elevação de casos de Covid-19 é esperado nos próximos meses”, diz o documento.

-Publicidade-

Os autores, no entanto, não apresentam uma estimativa numérica de quantos casos de coronavírus devem ser registrados. “Vários modelos matemáticos mostraram que o vírus estará circulando até meados de setembro, com um pico importante de casos em abril e maio”, diz o relatório, sem citar números.

O isolamento social é citado como uma das medidas usadas no Brasil para evitar a disseminação da doença. “[O isolamento social] É uma medida que deve ser sugerida no início  para achatar a curva epidemiológica com o mínimo possível de impacto econômico”, dizem os especialistas no relatório.

O documento também cita o uso de máscaras como uma das medidas de prevenção que podem ajudar a conter o avanço da pandemia. Na Ásia, o uso de máscaras é culturalmente aceito e não há o costume de abraços de beijos, como há no Brasil.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-